Manter o teu range aberto com Ryan D'Angelo Parte II

  • Kristty Arnett / Daniel CordeiroKristty Arnett / Daniel Cordeiro
ryan d'angelo

Na primeira parte deste artigo, Ryan D'Angelo ilustrou o conceito de manter o range de mãos amplo ao discutir uma jogada durante o Main Event NAPT Mohegun Sun. Na segunda parte, vai falar sobre outra mão que jogou na mesma mesa em que o conceito desta semana também se aplica.

Mão #2

Oponente: Jacobo Fernandez
Blinds: 1.000-2.000 com 200 ante

Quanto tempo depois aconteceu esta mão?

Vou dizer entre 4 a 5 órbitas, ou talvez 45 minutos. Estava a fazer raise a muitos potes obviamente, jogando o meu estilo agressivo e a batalhar um pouco com o tipo à minha esquerda, Jacobo. Estava a ganhar muitas mãos, mas não estava a sair da linha, mas os meus adversários não sabiam disso pois não estava a mostrar o meu jogo.

Qual é a tua história com este jogador?

Joguei alguns potes com o Jacobo em que fazia raise e ele fazia-me flat call imediatamente à minha esquerda, e acabava por desistir. Ele fez c-bet uma vez, penso eu, e desisti. Quando desistes deste modo para jogadores como este, eles ficam à espera de uma manobra tua para breve, o que foi perfeito para a minha próxima mão.

E quando digo jogadores como ele, quero simplesmente dizer alguém que achas estar a suspeitar constantemente do que fazes e não te dá crédito mesmo que representes uma mão forte.

Mão: Jacobo Fernandez abre para 5.600 under-the-gun e D'Angelo faz o call na big blind com {a-Spades}{a-Diamonds}.

O que pensaste assim que viste os teus áses?

Lembro-me de estar a pensar enquanto a acção seguia em fold até mim, que seria um spot interessante para ter áses, e nesse momento vejo a minha mão. Quando ele faz raise UTG e a acção chega em fold até a big blind, um raise iria reduzr o meu range de 25% para 3% das mãos.

Obviamente, quando ele tem 170,000 a 1.000-2.000 e eu tenho-o coberto, quero aumentar o pote, mas sabia que não iria conseguir muitas fichas suas se ele tivesse uma mão marginal, a menos que ficasse com a ideia de que eu estaria a fazer alguma loucura pós-flop. Portanto o meu plano era call pré-flop, e check-raise qualquer flop e jogar os meus áses como se de um set baixo se tratasse. Faço call a mais 3.200 atirando as fichas para o pote como se estivesse a pagar com 10-8 offsuit.

Mão: O flop traz {q-Hearts}{j-Spades}{5-Hearts}. D'Angelo check e Fernandez
aposta 11.000. D'Angelo reraise para 28.500 e Fernandez call.

Como escolheste o tamanho da tua aposta?

Nesta altura, é bastante importante tomar um momento e definir uma especie de plano para o resto da mão. Eu apostei 28,500 e depois de me fazer call, Jacobo ficou com 140,000 de sobra na sua stack e 65.000 no pote.

Mão: O turn trouxe um {5-Spades}. A board agora mostra {q-Hearts}{j-Spades}{5-Hearts}{5-Spades}. D'Angelo aposta 38.500. Fernandez vai all-in por 140.000. D'Angelo call e mostra {a-Spades}{a-Diamonds}. Fernandez mostra {a-Hearts}{7-Hearts}. O river traz um {10-Diamonds} e D'Angelo vence o pote, aumentando a sua stack para 475.000.

É uma excelente carta para sair no turn. Agora tudo o que me preocupa são as damas e os valetes, com as quais ele faria raise no flop, portanto estou relaxado. Ele vai all-in com {a-Hearts}{7-Hearts} e o meu jogo aguenta
naquele que seria o maior pote até então conquistado por mim.

Ele tinha fold equity quando fez shove?

Sim, claro. Quer dizer, se estou a fazer value bet no turn por 38.000, provavelmente já não faço fold a um shove. Mas, posso ter um draw como {9-Hearts}{10-Hearts} que ele facilmente venceria, mas provavelmente faria apenas check-call no flop estando assim tão deep num torneio grande, o que é um grande plano quando estás confortável em colocar duas apostas num flop como aquele, mas ele não sabe disso. Provavelmente não faria check raise pois poderia levar 3-bet. Ou, tomava eu a liderança.

Assumir a iniciativa de aposta é uma excelente jogada que as pessoas não utilizam com frequência, especialmente ao vivo. Se liderares com o par mais baixo num pote com três jogadores e uma board com flush draw, não irás levar raise de um overpair e podes representar o flush caso o turn o complete. Muitas pessoas fazem apenas snap fold aqui.

Portanto, para sumariar o nosso tópico desta semana, podes explicar de novo o que significa realmente, e como o fazes pré-flop?

Basicamente queres mantes os teus oponentes na pontinha dos pés
sempre que puderes. Quando fazes sempre isto com o teu range em
determinados spots irás tornar-te bastante previsível e os bons
jogadores vão reconhecer isso rapidamente. Este conceito é muito
importante contra jogadores que enfrentas todos os dias obviamente, pois os padrões que precisam de ser balanceados não serão tão reconhecíveis num torneio ao vivo, mas um bom exemplo é o range 3-bet.

Não queres fazer 3-bet apenas com boas mãos pois será bastante fácil jogar contra isso. Quando faço raise a par de 10 em middle position, e tu que ainda não tinhas feito nenhum raise, surges com uma 3-bet na small blind, eu posso simplesmente deitar o meu jogo fora. Mas, se eu te achar activo e vejo alguns showdowns de 3-bets com mãos marginais, será mais provavel teres alguma acção quando tiveres uma mão.

E outro ponto na polarização - quando fazes 3-bet a mãos medianas como par de setes e ás-valete suited, vais estar a fazer fold à melhor mão grande parte das vezes se te fizerem 4-bet. Quando fazes 3-bet com 10-5 suited, não terás problemas em fazer fold imediatamente se os teus oponentes mostrarem interesse em aumentar a parada. É muito perigoso quando os jogadores conseguem colocar-te em poucas mãos do teu range. É quase como se estivesses a jogar com as cartas de face voltada para cima, e eles serão capazes de tomar boas decisões.

D'Angelo chegou ao dinheiro neste evento conquistando o 42º lugar por $11.500.

Segue-nos no Twitter e Facebook para informações actualizadas no minuto.

Mais notícias

O que pensas?