Agora ao vivo
PokerStars Championship Barcelona

Pro Blogs: Contando os Minutos por Alec Torelli

  • Alec TorelliAlec Torelli
Alec Torelli Blog

Este último blog de Alec Torelli foca a auto-responsabilização.

Uma história pessoal: Contando os Minutos

O The Economist lançou um artigo intitulado de Counting Every Moment, em que cada pessoa regista diversas atividades das suas vidas.

Coincidência, comecei a fazê-lo neste último ano de forma a perceber os meus hábitos. Quantos livros li, quantos filmes assisti, quantidade de álcool que ingeri, quantas vez fiz exercício físico, etc.

Fatos à parte, o que eu reparei foi que o simples fato de registar as minhas atividades tornaram-me mais consciente sobre as mesmas. Se eu tivesse bebido, teria de anotar. Não poderia mentir para mim mesmo. O meu iPhone estava sempre a pairar sobre mim.

O resultado? As coisas que queria eliminar — beber álcool e ver televisão — foram reduzidas de forma notável. Da mesma forma, as atividades que queria melhorar — fazer exercício, ler e escrever — foram feitas com mais frequência.

O processo é fantástico. Sempre que desenvolvo um novo hábito que quero romper, basta escrevê-lo e é vê-lo desaparecer.

O Problema: A Ilusão

Durante anos estive iludido sobre muitos aspetos da minha vida. Agora, três meses depois, tive a noção que muitas coisas são mais destrutivas do que pensava. Por exemplo, este ano já almocei/jantei fora 57 vezes. Pelo menos eu sei para onde vai o meu dinheiro.

Pro Blogs: Contando os Minutos por Alec Torelli 101

No seu post recente, Sorel Mizzi fala sobre os perigos de ser um jogador de poker iludido. É com muito pesar que aplico esta estratégia ao meu jogo de poker.

“Qual a minha maior falha?” Questionei.

A resposta encontrada foi:

  1. Eu jogo demasiadas mãos
  2. Eu jogo quando não deveria

Agora deveria saber como corrigir os meus maus hábitos.

a solução: Auto Responsabilização

A razão pela qual nos deixamos descarrilar é porque não temos ninguém lá para nos responsabilizar. A vantagem em ter um personal trainer é ter alguém que nos obriga a fazer exercício. O registo das minhas atividades é o meu personal trainer.

Depois de uma amostra de 300 mãos, confirmei a minha suspeita — eu estava a jogar muito loose para o jogo de poker a nove. O embaraço de perceber que joguei 30% das minhas mãos inspirou-me a jogar. Naquela mesa, anotei quantas mãos joguei, mantendo o registo dos quatro estados: limp, call, raise e reraise.

Depois, estabeleci um objetivo de 20%. Para o atingir, mantive o rumo pela folha para saber que mão se enquadrariam no meu range. Continuei a anotar e a ajustar constantemente a minha estratégia de jogo.

O segundo problema — jogar quando não deveria — é mais difícil de quantificar. Para começar, perguntei-me umas quantas questões e anotei as respostas:

Pro Blogs: Contando os Minutos por Alec Torelli 102

Quando é que jogo bem?

  • Quando estou relaxado
  • Quando como bem
  • Quando faço exercício
  • Quando sinto que não tenho mais nada para fazer
  • Quando estou confortável com o dinheiro
  • Quando estou a ganhar

Quando jogo mal?

  • Quando estou cansado
  • Quando não faço exercício físico
  • Quando estou stressado
  • Quando estou a perder
  • Se o jogo é muito grande
  • Quando a minha mente está longe

Não é surpresa quando os dois são espelhos. Depois deste exercício eu fiz uma regra. Se alguma de duas das condições se reunirem eu não jogo. Sem excepções. Estou disposto a esquecer algum do potencial EV de forma a diminuir a variação e manter um estado de espírito saudável. Tive de me lembrar, apesar de o jogo ser sobre a maximização de expetativas, a vida é sobre a maximização da felicidade.

Como as circunstâncias do jogo alteram constantemente, é difícil sermos objetivos enquanto jogamos. A toda a hora verifico novamente as minhas notas e revejo a lista. Não quero esperar estar cansado ou errar para sair do jogo. Os sintomas normalmente precedem a doença.

Para vencermos nem sempre temos de ser os melhores a jogar poker mas sim os melhor jogadores de poker. Rafael Nadal, por sua própria admissão, tem menos talento que Roger Federer mas através de trabalho árduo, perseverança e controlo mental, ele conseguiu ultrapassar essa diferença de talento. No poker existem inúmeros jogadores dotados mas falidos. Como o ténis, não se trata de quem faz as melhores jogadas mas quem faz menos erros.

Para leres todos os meus blogs e conteúdos visita www.alectorelli.com. O teu feedback é importante para mim bem como a partilha de ideias. Faz-me perguntas ou deixa um comentário. Segue-me no Twitter em @AlecTorelli. Para outros assuntos, envia um mail para alectorelli@gmail.com.

Fica a saber todas as notícias através do Twitter e do Facebook para informações actualizadas ao minuto.

*Lead photo, "Hawaiian Hold 'Em" by Tom "Thor" Thordarson

Mais notícias

jogadores relacionados

O que pensas?