Insiders: CEO do WPT Steve Heller fala sobre Legislação do Poker Online, a Expansão do WPT e muito mais!

  • Duarte Cunha-RealDuarte Cunha-Real
The Insiders

O World Poker Tour tem assistido a um crescimento consistente em várias áreas desde que o poker foi virado às avessas devido ao Black Friday. Para além da expansão da Tour na Europa, com várias novas paragens da Season X, as audiências televisivas da Fox Sports Net subiram 30% e o tráfego do poker online do ClubWPT cresceram consideravelmente.

O CEO do World Poker Tour, Steve Heller sentou-se com a PokerNews recentemente para discutir anovass alterações do modelo de negócios do WPT e como poderá mudar caso o poker online nos EUA for legalizado.

Muitos jogadores de poker mudaram para o ClubWPT.com depois do Black Friday. Qual a diferença sentida no site desde Abril?

O ClubWPT já estava a trabalhar bem (antes do Black Friday). Claro que tivemos um aumento de jogadores que quiseram um local para jogar poker competitivo. Ajudou o negócio mas já era um negócio bastante saudável. A integração e patrocínio do show serviu para dar a conhecer o modelo de negócio e expor a marca, o que foi um factor chave.

Ainda vemos várias salas de jogo online a dinheiro real a operar nos EUA. O que é que o ClubWPT oferece aos jogadores que eles não consigam encontrar noutros sites?

Existem uma série de coisas que encontras numa operação legal e que não encontras naqueles que, citando o governo, violam a lei. Nós gerimos uma operação profissional como subsidiários da bwin.party, com muita gente na empresa que já trabalharam em grandes operações de poker online. Eu acho que a experiência de poker é excelente.

E muito importante de referir, apesar do próprio serviço, o facto de sermos uma marca WPT faz com que usufruamos de todos os atributos da WPT. Não só temos a capacidade de oferecer lugares em eventos WPT como também temos o que chamamos de experiência ClubWPT VIP, onde se pode conhecer o cast, ser convidado para as festas, ser intrevistado e estar na TV.

Neste momento, o ClubWPT é um site com subscrição. Poderemos ver uma mudança no modelo de negócio se o poker online nos EUA for legalizado?

Penso que a oferta de subscrição terá sempre presente. Penso que existe um mercado para as subscrições e que se aplica ao estilo de vida de muitas pessoas. No entanto, se houver outras formas de poker legais e de interesse para a comunidade, iremos sempre entregar esse serviço sob a marca WPT, aplicando as características da mesma. Diria que somaria ao site ao invés de ser subsituída (site por subscrição).

Terá a bwin.party influência sobre esse assunto?

Bem, a bwin.party é a empresa mãe mas o ClubWPT tem gestão independente. Temos relações comerciais com diversos sites europeus e casinos. Tomaremos decisões em prol da marca e do negócio WPT.

O que acha que vai acontecer durante o próximo anos em relação à legislação do poker online nos EUA?

Não sei se serei a pessoa indicada para fazer previsões sobre o que o governo fará, ou qualquer um do 51 ou 52 governos irão decidir, mas certamente tenho algum optimismo em que veremos o poker online regulado nos EUA durante o ano de 2012. Para a maioria da indústria existe uma necessidade para que o governe entenda que regulamentar o poker online é a melhor solução para o poker online.

Estamos realmente focados em termos uma legislação de qualidade e encorajamos o governo a interagir com a indústria, fazendo questão que a legislação contenha todo o conhecimento da indústria, sirva os jogadores e satisfaça os interesses do consumidor.

Mudando para os circuitos ao vivo, qual tem sido a procura nos eventos do WPT desde o BLack Friday?

A afluência tem sido óptima desde o Black Friday. Francamente, é muito difícil ter acesso aos valores de anos anteriores mas tem havido uma diversidade de afluência nos eventos ao vivo. É difícil isolar uma influência e acreditamos que o Black Friday despoletou interesses contrários. Noutras palavras, tem havido boas e más influências nos fluxos dos Tours.
Por exemplo, nos EUA temos o caso de jogadores que já jogavam cash games e outros torneios em casinos e agora, continuam a fazê-lo pois não há outro local que o possam fazer. A desvantagem é que temos outros jogadores que, inclusivamente deixaram de ser profissionais, e apenas jogam em ocasiões específicas. Os factores vão em diversas direcções mas no geral, a afluência tem sido fantástica. Tivemos o nosso maior evento de sempre em Setembro em Borgata com mais de 1,300 entradas.

O World Poker Tour expandiu para a Europa com mais paragens internacionais na Season X que na season anterior. Espera-se um maior crescimento europeu durante a Season 11?

Tem havido uma grande procura do WPT Europa e de há dois anos para cá passamos de 2 eventos para 10/12 no calendário deste ano. Espero ver mais eventos adicionados ao calendário. Ainda temos muitos parceiros casinos a falar connosco e a demonstrar interesse; é uma questão de datas e acertar o calendário mas a Europa continua a ser um mercado vibrante e em constante crescimento e, certamente, que o WPT irá continuar presente.

Season X está programada para ser emitida em TV este mês. Pode falar das alterações na cobertura e o que tens reservado para os espectadores nesta season?

O ano passado fizemos imensas alterações, não só na transmissão do WPT mas na forma de programar o poker. Este ano vamos continuar esse caminho. Uma das coisas que alteramos foi a cobertura de 3 horas de cada evento, o que permite uma melhor cobertura dos dias de jogo.

A cobertura do jogo final [da Season IX] teve um feedback tremendo e os jogadores gostaram imenso. Dá uma melhor oportunidade de perceber o que se passa no evento e por isso decidimos expandir a ideia substancialmente. Permite-nos mostrar mais mãos de poker mas também dá-nos tempo e um maior contexto para vermos os jogadores na final do main event.

Acrescentamos um segmento chamado "On the Road" que mostra a vida na perspectiva do cast e dos jogadores do WPT, assim os espectadores poderão ter uma noção dos bastidores.

Também estamos a celebrar o nosso aniversário da décima season. Iremos rever os momentos mais famosos e dramáticos vividos na final table das primeiras nove seasons.

Quais são os planos para o futuro do WPT?

Nós encaramos os WPT como embaixadores que entregam o poker ao quotidiano das pessoas, por isso vamos continuar a procurar uma expansão geográfica. Vamos procurar expandir para sermos relevantes às pessoas que sempre estiveram ligadas ao poker. Tentaremos que o espectador possa sentir e perceber o que são os eventos e como é uma tour. São estas pessoas [espectadores] são os que torcem contra ou a favor dos jogadores e assim elas poderão ter uma experiência mais profunda e divertida.

Uma grande alteração nos espectadores é que eles se tornaram mais sofisticados. Na Season IV tínhamos um segmento que era o "Raw Deal"onde íamos a uma grande profundidade de análise sofisticada. Penso que continuaremos neste caminho para permitir aos espectadores terem discussões cada vez mais profundas sobre a dinâmica do tour.

Fica a saber todas as notícias através do Twitter e do Facebook para informações actualizadas ao minuto.

Mais notícias

Torneios relacionados

O que pensas?