Agora ao vivo Unibet Open Bucharest

Maridu – O Filme Do Seu Poker – Parte I

Maridu – O Filme Do Seu Poker – Parte I 0001

Maria Eduarda Mayrinck (Maridu) do Rio de Janeiro foi a primeira entrevistada de Mariel Macedo, novo correspondente da pt.pokernews.com no Brasil.

Eis a entrevista realizada através do MSN (sim no MSN, porque embora Maridu deteste o MSN, o nosso entrevistador não tinha o Skype) num estilo informal:

É uma honra para mim poder estar a entrevistá-la.

Enquanto falo estou a jogar em 3 mesas. Só no Party Poker posso fazer isso, no Poker Stars o lance é tenso, lá a galera joga muito melhor, e normalmente só consigo fazer uma coisa de cada vez…

Um seg. que estou no meio de um pot GORDOOO…

tô fulada e outro empurra all in, que você acha?... me belisca?...

Ai, só tem jumento no PARTY POKER… Ok levei um pot de 560, ta bom? Vamos conversar.

Fale-nos um pouco sobre você

Ai meu Deus… falar de mim é tão ego trip mas vou tentar...

Sou carioca, morei a maior parte da minha vida nos EUA (NY e Califórnia) onde fiz high school e Faculdade respectivamente.

Venho de uma família de "high stakes players" no maior sentido da palavra, pois minha família inteira trabalha no mercado financeiro, e é claro que sempre acharam que esse também seria o meu caminho. Eu também achava.

Além disso, meu pai, Henrique Mayrinck, era trader de comodities na bolsa de NY (café, suco de laranja, etc.) e brady bonds (títulos de dividia externa) como também foi high stakes player a vida toda, e te juro, fui criada no meio de jogo desde pequena, todas as minhas férias (todas!) eram em lugares com casino. Sabe aquele papo de gente que perde a casa ou o carro no game e todo o mundo acha que é lenda urbana? Não é, eu já vi isso algumas vezes...

Então já cresceu com o poker na mente e no sangue, com uma grande influência desde os primórdios?

É, o ambiente e a linguagem do jogo é algo muito familiar para mim, e está no meu sangue, cresci com o jogo dentro de casa e fora; por exemplo, em Nassau, nas Bahamas, você pode entrar no casino com qualquer idade, e eu costumava ir para a salinha dos fundos assistir o meu pai jogar o High Stakes, que não era só poker, era mais baccarat, mas tinha muito poker também.

Meu pai me ensinou a jogar baccarat, poker, blackjack, gamão, xadrez, quando eu tinha uns 9 anos; com 12 eu já sabia todos os jogos (mesmo). Me lembro um vôo que fizemos pra NY em que ele me ensinou como blefar e que essa era a arte do jogo.

E quando é que resolveu se dedicar mais ao poker?

Na verdade, nunca "tomei essa decisão" porque eu tenho uma profissão que eu amo - sou roteirista e directora de cinema, tv e publicidade mas… sempre tive o jogo no sangue, e sempre fui extremamente competitiva… quando eu tinha 12 anos de idade e morava em NY, eu era tenista, e rankeada entre os top 5 Juniores de NY o que é um grande feito, e desde lá, eu tinha uma necessidade tremenda de adrenalina e sempre fui meio John McEnroe, tiltadíssima, tomava bad beat na quadra, quebrava raquete, chorava, xingava o juiz da cadeira se achava o call dele ruim, fazia o escambau. Fazer o quê, sou baixinha esquentada...

Mas o ambiente de tênis júnior nos EUA era de uma competitividade doente. Para você ter uma noção, minha roommate de quarto nas clínicas de tênis e nas viagens do circuito júnior Americano era a Jennifer Capriati. Éramos as melhores amigas e eu realmente achava que o tênis ia ser a minha carreira, todo mundo achava! Com 15 anos eu só queria saber de top spin, slice, velocidade de saque, quem que a Steffi Graff ia jogar no final de semana. Sempre fui muito MUITO determinada com as coisas que eu quero.

Mas com 15 anos eu quebrei o joelho direito num acidente retardado de esqui. Fui me exibir pra um garoto, dei um salto, caí errado e meu joelho torceu para fora do lugar… Na hora eu sabia que algo sério estava errado.

Logo em seguida, meu pai faleceu (ataque do coração muito devido ao gambling e ao estilo de vida do mercado financeiro, poucas horas dormidas, péssima alimentação, muito cigarro, etc.) e aí não consegui mais jogar ténis, porque ténis era uma coisa entre eu e meu pai, que jogava o fino e desde pequena me incentivou a jogar, fez tudo pela minha carreira no ténis o que foi uma pena, porque quem sabe onde eu teria ido, porque sem querer ser metida, eu era porreta na quadra… mas então…

Teve contacto com o mundo profissional do ténis e voltou para o Brasil, o que a levou a voltar para a nossa terra tupiniquin?

Meu pai morreu e não tinha mais motivo para morarmos nos EUA, então voltamos, mas foi um arraso, minha vida desabou e eu não consegui mais jogar. Foi o auge do tilt, pra vc ter noção, joguei TODOS os meus prémios fora e doei todas as minhas raquetes e equipamentos de ténis pra caridade, tiltei pesado. Voltei ao Brasil com família e tudo e minha vida virou uma zona…

Mas aí as coisas vão se encaixando com o tempo e com 16 anos terminei o colégio e fui estudar cinema em San Diego, na Califórnia, não aguentava o Brasil, não consegui me entender com o país depois da morte do meu pai, e queria ir pra longe, então estudei, me formei, 4 anos depois voltei pró Brasil, e logo engatei em outra faculdade, nesse tempo todo sem jogar nada. Eu bloqueei tudo que era relacionado com o meu pai, que era o meu herói. Sei que é um cliché dizer isso, mas ele era.

E como foi esse retorno ao jogo?

O que aconteceu foi que surgiu o boom do holdem que era uma modalidade do poker que eu não conhecia (só jogava o 5 card draw e o 7 card stud) e imediatamente me senti atraída pelo jogo… isso foi em 2000, tem uns 6 anos… não, minto… foi depois… putz, não lembro…

Então já está há um bom tempo na modalidade?

Sim, de forma séria, séria mesmo, acho que desde 2003.

E começou online ou com amigos?

Com amigos: aí um amigo meu falou "Vai pro Party Poker que lá é um sonho", isso foi em 2002… não… 2003.. e eu, crente que ia abafar, entrei no PARTY POKER, depositei 300 dólares e perdi tudo em 30 minutos, Fiquei louca! "COMO ASSIM ! ! !??? Eu, perder 300 dólares em 30 minutos para esse bando de jegue!?" Fiquei transtornada! Se tornou uma obsessão!

No mesmo dia entrei na amazon e comprei TODOS os livros de poker que eu encontrei, TODOS MESMO, e todos os DVDs, e virei uma estudante neurótica porque eu já entendia que era um jogo de disciplina e habilidade que a longo prazo remunerava o melhor, mas entenda que isso foi sempre entre meu trabalho (que hoje em dia sou contratada da Globo "full time" na equipe de roteiro) e entre minha vida social, que é muitooooo activa…

Mas comecei a levar a sério. Para ser sincera, nem pensava como "fonte de renda" ou em ser "profissional" - era o lado competitivo me chamando, eu queria ser BOA, ganhar dos outros, mas nem pensava na grana… será que dá para entender isso?! Até o dia que ganhei meu primeiro torneio no PP, me lembro que foram uns 5K, aí eu falei "Opa, dá pra fazer dinheiro também!" – fiquei surpresa, não tinha juntado 2+2 pra entender que aquilo dava dinheiro! Kkkk! Só uma pessoa que não sabe administrar o BR pensa assim, mas era assim mesmo que eu pensava.

Sim claro! Apenas levando o lado desportivo!

Sim, mas, filha do meu pai, nunca consegui jogar limites baixos,

o que é uma grande falha da minha pessoa porque se tem um defeito (além do meu TILT, que é mega, e se quiser falamos disso depois) é que sou péssima administradora de "Bank Roll"…

Costuma jogar S&G ou MTT?

Eu não jogo mais s&g, porque em 2005 passei uns 3 meses consumida por s&g chegando a jogar 60 por dia o que me levou a um grande distanciamento das pessoas, me deixou em depressão, parei de comer, dormir, só pensava em s&g, então tomei uma certa birra e hoje em dia jogo somente cash game e MTT (de preferência com rebuy).

Existem muitos jogadores que iniciam no s&g e depois vão para os MTT, e outros preferem (no meu caso) heads up, devido ao tempo que o MTT leva para chegar a algum prémio! Quantas horas se dedica ao poker diariamente?

Olha, passo por fases... tem épocas que eu jogo 10 horas por dia, e aí passo 1 mês sem abrir o POKER STARS ou o PARTY POKER, tudo depende mas independente de estar jogando ou não, eu estudo TODOS os dias, penso no jogo muito mais que eu devia, leio tudo que tem pela internet, enfim, me informo.

Você joga apenas na PP e PS ? Ou arrisca outras salas de poker também?

No Full Tilt também. Meu nick é Maridu no POKER STARS, Cash4PlasticSurgery no PARTY POKER e MariaRJ no Full Tilt. Detesto meu nick no FULLTILT POKER, mas vou abrir uma conta nova agora e vou dar um nick bem trash, tipo ParisHiltonWannabe ou algo do tipo! ;-)

Eh um caminho que muitos jogadores seguem, a leitura e aprendizado constante no poker, o que é muito importante, pois como se diz o velho ditado "vivendo e aprendendo"? Muitas pessoas iniciam no poker online através dos freerolls com muitos jogadores e baixos prémios, mas seguem no sonho estilo a la Moneymaker, você chega a jogar freerolls ?

Sim, acho que é muito importante ter a teoria, mas cada um tem seu estilo, e nenhuma mão (no NL especialmente) tem uma forma correcta de se jogar, portanto não adianta você saber o Super System de cor sem colocar em prática e ver qual a melhor maneira de se jogar de acordo com o seu estilo e de acordo com a temperatura da mesa. Acho que a experiência junto com o aprendizado são a formula correcta para avançar. Não sei, ainda estou tentando avançar...

Nunca joguei freerolls. Deve ser insano, e acho irado quem joga e consegue ganhar algo, mas eu vou ser sincera, sou muito impaciente...

Sim, o freeroll eh muito intenso e insano, ao ver em apenas 3 minutos de torneio em torno de 500 jogadores já saíram!!! Ou seja eh all in para todo lado !!

Pois eh… eu não sei como alguém consegue ganhar aquilo, tiro o meu chapéu – mas eu não consigo.

O poker no Brasil está crescendo de uma maneira muito grande, e assim estamos a um nível internacional muito bom, como você vê o poker hoje no Brasil comparado a algum tempo e o seu futuro?

Olha, eu acho que falta pouco tempo para o poker Brasileiro atingir um nível CONSTANTE internacional, os jogadores brasileiros estão muito dedicados e cada vez melhores e eles têm excelentes modelos no CK e o Raul, que além de grandes amigos queridos, também são meus ídolos nesse esporte.

É que o pueblo pegou eles lá em cima, mas ninguém sabe o que eles passaram para chegar aonde estão e eu sei (mas vão saber com o filme – na parte dois deste artigo abordaremos o filme que está a ser preparado…).

Eles tiveram que aprender tudo sozinhos, apanharam sozinhos, caíram sozinhos e se ergueram sozinhos, sabe? Então, eu acho que o CK e o Raul asfaltaram um caminho e possibilitaram o surgimento de nomes como Akkari, Federal, até o meu (tadinha de mim! - e pode colocar isso!) e eles não tiveram medo de encarar sendo que eles não tinham nada a ganhar, muito pelo contrário, só a perder, pois estavam dando a cara a tapa num meio que é super mal visto pela sociedade, e realmente não precisavam se expor dessa forma, saca? Eles podiam seguir jogando em casa quietinhos, facturando e nada ia mudar na vida deles. Sendo que eles são lindos, jovens, cheios de amigos, etc., sabe? Não precisavam da dor de cabeça que isso já trouxe muitas vezes para eles. Mas dividiram com o pueblo porque são generosos e legais demais!

Maridu – O Filme Do Seu Poker – Parte I 101

Eles realmente colocaram o "brioco" deles na reta, e foram muito bombardeados por vários lados, mas ninguém sabe o esforço que eles fizeram para colocar o poker no nível que está hoje em dia no Brasil, e TODA comunidade do poker deve simplesmente TUDO a esses dois que não tiveram o menor "medo" de gerar competição, muito pelo contrário, eles alimentaram essa competição saudável, e acho INADMISSÍVEL que qualquer pessoa da comunidade de poker Brasileira tenha um "A" de ruim para dizer deles. Quem quiser atacá-los, pode me atacar junto, pois a pessoa está desinformada e sem noção da vida, saca?

Ok, só queria falar isso. Me tiltei sozinha né? Kkkk!

Mudando um pouco de assunto, foi anunciado o termino do patrocínio com o vencedor da WSOP 2006 main event "Jamie Gold" como você viu essa noticia? Pois o mesmo jogador era muito criticado pela imprensa internacional!

Porque foi cancelada hein? Nem fiquei sabendo direito mas de qualquer forma, eu não sou contra não. Falta algo no Gold que por exemplo o Moneymaker tem, o Greg Raymer tem de sobra, que é "likability", aquela qualidade que faz vc gostar da pessoa. Não é fácil "gostar" do Gold… o cara é um mega xarope… Eu também não iria querer patrocinar ele, saca?

Sim, com certeza, pois ele em 2006 além do WSOP não ganhou mais nada além de 25 mil dólares; se esperavam muito mais dele…

E eu acho que poker patrocinado é contra a natureza do esporte, que é um esporte individual; você "comprar" um pedaço de um jogador como um business deal é uma coisa que te ajuda a se defender no dia a dia, agora você ser patrocinado para jogar, não sei... pode dar certo, mas acho que vai contra a natureza individualista capitalista selvagem que é o NL HOLDEM, e quanto ao Gold, patrocinar cavalo de uma só corrida é complicado. Eu não coloco um centavo no Gold mas coloco a casa no CK, no TCarrico, no Vovô Leo, no Raul, no Akkari. Poker é consistência…

O Jamie Gold é como a "Tiazinha" do poker vai durar 15 minutos no sol e depois vai virar evangélico e o pueblo falando "Ah, quem é aquele ali com aquela pulseira hein?"…

Mas pelo menos ele tem uma pulseira, e eu não, ou seja, ele deve saber algo melhor que eu... vai saber!?

Você acha a publicidade e patrocínios de jogadores de poker errado? Você é contra?

Olha, eu sou a favor se for para benefício do jogo, mas tem que tomar cuidado, pq jogador de poker tá virando o mesmo que estrela de TV ou cinema, mas estes estão habituados a trabalhar com vaidade, e jogador não está, então perdem a noção. Por exemplo, a cagada que deu ano passado com Annie Duke, Howard Lederer, Andy Bloch, etc. Pô, um bando de gente feia, xarope, processando o WPT por direitos de imagens que, fala sério, se não fosse pelo WPT e aquelas imagens ninguém ia nem saber quem aqueles feios são! Cuidado com o estrelismo!

"a ganância do povo"…

É, tiraram o olho do que era importante, que era o JOGO, e aí é caído…

Quais são as suas metas para esse ano em termos de poker?

Tentar controlar o meu tilt - que é terrível, para quem lê meu blog já viu a violência que sou capaz de impor em mim mesma, e aprender a administrar melhor meu BR, que é um pecado gravíssimo que tenho em todos os aspectos da minha vida, mas isso é coisa de jogador. A relação de jogador com dinheiro é diferente que a relação de humanos normais com grana! Pra jogador, dinheiro é como um comodity a ser negociado diariamente nas mesas, saca? É uma relação bem efémera e desapegada.

E nesse caso é importante lembrar do meu passado e de quem sou filha e como fui criada. Meu pai sempre teve um desapego desgraçado ao dinheiro, mão aberta demais, e eu sou igualzinha. Não dou o menor valor, ganho um torneio e mando capilé pra todo mundo que torceu, dou gorjetas enormes, compro tudo que me dá na telha, sabe? Falo isso sem ser metida, é a verdade, é como eu sou. E não é bacana. Não é falta de humildade não, porque não sou nenhum pouco esbanjadora, nunca falo de dinheiro, mas também nunca penso nele, sabe?

Prato Favorito?

Risoto, vivo em busca do risoto perfeito. Ainda não achei.

Time de Futebol?

Flamengo até morrer.

Qual a sua sala de poker favorita?

Sei que o PARTY POKERfoi onde eu comecei e lá só tem jumento, mas tenho carinho pelo POKER STARS, porque foi lá que elevei meu game online.

Música Favorita?

Beatles para todos os dias, U2 para pressão no online e Frank Sinatra para ganhar bonito de forma old school!

Além do poker o que você gosta de fazer?

Além do poker eu gosto de viver a vida porque existe uma para ser vivida meu pueblo!

Conte-nos uma jogada inesquecível no poker!

Estava a jogar no Venetian na mesa de Amir Vahedi, 5-10 NL (não sei porque que ele estava na 5-10, devia estar des-tiltando de algum prejú que levou numa mesa mais cara, mas lá estava ele 2 lugares a minha direita!) e ele vinha dando raise de 60 em todos os pots, TODOS, sem olhar as cartas.

Gostei dele! hehehe...

Eu estava só esperando…

eu no BB, vejo a mesa toda fold e ele no button aposta 45, devia ser mão boa. Olhei pra um {9-Hearts}{7-Spades} (lixão) mas dei call, o flop veio {a-Clubs}{9-Spades}{4-Diamonds}, ele betou 125 e eu paguei na maior velocidade, no turn abre outro {a-Spades}, e agora tinham 2 espadas no board, ele betou 200, eu olhei pra ele e falei "Make it 450". Ele me mostrou {j-Diamonds}{j-Hearts} foldando e falou "nice hand"…

na mesma hora eu mostrei meu {9-Hearts}{7-Spades} e falei…

"Thanks!" - hahaha! Ele mesmo riu e falou "I like your style" e eu "I like yours too!"… Foi uma delícia! Nem é uma "grande" jogada, mas eu sabia que ele estava na frente, e queria mesmo assim me atolar pra ter essa história de um cash game live em Vegas com um pro, sabe? Não foi o maior pot que ganhei em Vegas mas com certeza foi o mais gostoso. Depois disso a gente trocou ideia na mesa e sempre que ele betava e eu dava call ele falava "I'll give you 50 dollars if you fold" e eu falava, "No, c'mon, let's play the hand, you have position" e ele "but you have balls!" kkkkk! Foi divertido!

E para finalizar…

Queria finalizar falando que o poker, especialmente o NL é uma arte, um jogo de muita técnica e habilidade, de resultados a longo prazo, coisa que todos já sabem, mas que cada um deve ir no seu ritmo, de acordo com o seu BR. Mas é importante lembrar que o jeito que vc se comporta numa mesa reflete quem você é na vida (como os meus tilts que eu tento tanto controlar), e que cada informação que você armazena entra em jogo na mesa, então a pessoa nunca deve estagnar só no poker, porque tem muita coisa pra ser aprendida todos os dias, que vão te ajudar a se conhecer melhor ainda.

É muito fácil de perder a perspectiva das coisas ao ver o CK viajando o mundo pra jogar o circuito internacional, o Raul puxando um pot de 3K no cash, ou o Akkari levando um torneio de 10K, mas é importante entender que para chegar aí eles subiram uma escada longa e árdua que não tem jeito, tem que ser escalada por cada um da sua maneira, cada um se conhecendo da melhor forma possível, e não tem como fazer isso sem juntar sua inteligência com a sabedoria que vc ganha diariamente, e se não está ganhando esta sabedoria, vc está perdendo no longo prazo. O cérebro é um músculo que precisa ser exercitado, se não ele atrofia.

Mas o que a maioria ainda não sabe, e em breve vai saber (para aqueles que insistirem) no jogo, é que:

você não é grande pelas suas vitórias…

mas sim pelo jeito que você se levanta das suas derrotas…

aí é que está o grande campeão!

Nota Ed: Faça já o download da POKER STARS, PARTY POKER e da FULLTILT POKER e jogue na mesma mesa da Maridu…

Mais notícias

O que pensas?