Jogadores Ouvidos no Caso de Falência da EuroPoker

Jogadores Ouvidos no Caso de Falência da EuroPoker 0001
Sharelines
  • Jogadores Ouvidos no Caso de Falência da EuroPoker

Os jogadores da ex sala de poker online francesa EuroPoker foram ouvidos pelo tribunal em Bobigny, França. O caso remonta a 2014, ano em que a sala pertencente à EPMEDIA abriu falência ao falhar a migração entre plataformas de jogo. A EuroPoker operava na rede Ongame e colapsou quando se preparava para iniciar actividade na rede Ipoker deixando os jogadores sem garantias sobre os seus fundos na sala.

O sistema de regulação francês tem um mecanismo de protecção de fundos dos jogadores, obrigando todas as novas salas naquele país a garantir essa protecção. No entanto, o caso da EuroPoker demonstra que os jogadores continuam sem garantias de reaver a totalidade do dinheiro em caixa na sala online.

Um dos principais problemas com o levantamento deve-se ao facto de os dados sobre os fundos da companhia não corresponderem ao que os jogadores reivindicam.

Outro problema tem a ver com os bónus e sistemas VIP da sala. A falta de correspondência directa entre estes bónus e dinheiro faz com que muitos dos jogadores se sintam lesados com o fecho da sala. Eles queixam-se ainda de os termos do serviço terem sido alterados quando a sala começou a ter problemas financeiros, deixando-os sem garantias sobre estes bónus.

Para dificultar ainda mais a vida destes jogadores está ainda o facto de a sala possuir muitos outros credores. O que faz com que o dinheiro disponível para saldar a divida seja curto e eles estejam no fim da linha para reaverem o dinheiro deixado na sala.

Os jogadores foram ouvidos pelo tribunal e não acreditam que o juiz entenda a importância dos sistemas VIP e bónus na sala poker visto que, tendo conhecimento dos problemas financeiros da sala muitos deles poderiam ter convertido os bónus em dinheiro antes da falência.

O juiz dará o seu veredicto sobre este caso no dia 15 do próximo mês.

Recebe todas as notícias da PokerNews através das redes sociais. Segue-nos no Twitter e no Facebook!

Mais notícias

O que pensas?