Fora das mesas com Joe Sebok

Joe Sebok

O Fora das Mesas está a entrevistar as tuas pessoas favoritas no mundo do poker para descobrir mais sobre as suas vidas — fora das mesas. Recentemente sentámo-nos com Joe Sebok para falar sobre um pouco de poker, segredos de família, e do seu novo cãozinho.

Como começaste a jogar poker?
Eu comeceu no poker quando tinha 27, depois de ter trabalhado em algumas .com falhadas em São Francisco e fiz algumas viagens imediatamente depois. Estava à tentar descobrir qual seria a minha próxima aventura, e descobriu-se que era o poker.

O que se segue no teu calendário de poker?
Excelente questão. Tenho andado muito mais focado em possibilidades de negócio fora das mesas. Estou a contar ir até ao Bellagio para alguns torneios em Dezembro, assim esperemos que o meu traseiro esteja em Vegas para isso.

Qual é a tua paragem para torneio favorita?
Acho que todos gostam das paragens no Bellagio, o nosso "lar fora de casa" de jogador de poker profissional. É dificil contestar com as paragens nas ilhas: Aruba, Bahamas, etc., foram sempre um local privado e não combinam só jogar bom poker com a praia, mas todos têm lá uma abordagem muito mais descontraída aos eventos. Também, nunca poderei odiar o evento Aussie Millions. Australia é sempre incrível.

Quais sãos os teus hobbies longe das mesas?
Tenho muitos. Correr é a coisa mais acessível que faço quando não estou a jogar. Também jogo squash. Vivo em Los Angeles, por isso tento assistir ao máximo de música ao vivo que consigo, que foi sempre uma das minhas paixões. Eu basicamente alinho em tudo o que me traga divertimento. Se alguém me pede para fazer algo, usualmente direi que sim.

Tem alguns talentos escondidos?
Tenho muitos, mas se te contar deixaram de ser escondidos. E assim teria de te matar. Assim como à tua familia. Podes ver que isto não acabará bem - para nenhum de nós.

Pelo que podemos ver no Twitter, parece que é um amante de cães. Quem é o pequeno que está na fotografia de perfil e como o tens?
Sempre fui um amante de cães desde que era miudo. A foto é a minha nova menina, Bailey, que tem cerca de 10 meses, que me faz companhia na praia e quando vejo filmes. Ela é da raça Aussie cattle e é um dos cães mais inteligentes e incrivelmente doce que eu já tive. Tenho a certeza que ela está sintonizada com Steve Jobs e Bob Marley.

Parece que fazes muitas coisas com instituições de caridade. Há alguma que te seja mais próxima e especial?
Na realidade gosto de me envolver em qualquer grupo que precise de ajuda, para ser honesto. No entanto, aqueles mais próximos do meu coração são normalmente os que estão relacionados com crianças. Ainda esta última semana ajudei com um evento lançado pela TACA, que é um grupo que lida com o autismo nas crianças. É um grupo fantástico que todos deviam conhecer e com o qual se deviam envolver. Eu também adoro animais e vivo na praia, por isso sou um grande fã do evento de Jen Harman todos os anos e também tento apoiar a Surfrider Foundation. Existem por aí fora muitas pessoas e causas que precisam de ajuda.

Qual foi o momento mais memorável da tua carreira de poker?
Man, eu não sei. Foi tudo divertido. Tenho algumas vitórias em torneios, mas todas elas foram em eventos de buy-in entre $1k e $5k, por isso não tive publicidade, nem os prémios, que aqueles $10k tramados trazem! Os últimos 8 anos foram uma mancha total. Se eu tivesse de escolher alguma coisa, seria provavelmente a minha primeira vitória como profissional, no Mirage, embolsando cerca de $150,000.

Estiveste alguma vez envolvido em alguma prop bet ridicula?
Demais para possivelmente contar aqui. Eu tenho uma grande tendência para a idiotice, por isso podem imaginar. Façam apenas uma busca no Google e vão encontrar algumas coisas. Fatos de superherois, tatuagens, apostas com bronzeadores e lutas Muay Thai, só para mencionar algumas.

Vamos ouvir um segredo do teu pai, Barry Greenstein, já que disseste que tinhas o suficiente para escrever um livro.
Quem me dera!Se eu pudesse contar as histórias! Como em todas as famílias eu estou obrigado a jurar segredo. Paciência, é a vida! Contudo ele é o melhor. Tive uns bons momentos na Final Table do WSOP este ano, com a introdução dele e da Linda Johnson no Poker Hall of Fame. Excelente dia.

Preferias aprender a jogar boxe com o Muhammad Ali ou aprender a como jogar hóquei com o Wayne Gretzky?
Fácil. Não sou um tipo do boxe e adoro hóquei, por isso adoraria obter um pouco do amor do Grande. Como poderia dizer que não a isso? No final do dia, sou na realidade um grande amante de baseball, por isso adoraria levar alguns cortes e algumas rasteiras no Wrigley Field com o meu querido Cubs.

Qual foi a coisa mais aventureira que já fizeste?
Eu gosto de pensar que foi tudo. Não existem muitas coisas que eu não tenha experimentado: queda livre, escaladadas, caminhar nas selvas, mergulho autónomo em grutas, tentar aprender poker com Barry Greenstein, desativar engenhos nucleares. Eu tento não dar às costas a nenhum desafio se o puder fazer.

Qual a equipa que mais hipóteses de ganhar o próximo título das World Series? Os Chicago Cubs ou os Boston Red Sox?
Tenho de dizer os que têm melhor plantel agora, por isso tenho de dizer os Sox. Os Cubs estão a fazer alguns movimentos correctos agora, mas o nosso plantel está uma confusão e vai demorar um tempo a renovar toda a equipa, por isso vai ser triste por um tempo. Os Red Sox estão preparados para ganhar neste momento e vão estar muito empenhados e motivados por causa do seu colapso no ano passado.

O que estarias a fazer se não estivesses a jogar poker?
Estaria a divertir-me o mais possível a fazer outra coisa qualquer. Eu avalio o sucesso pela quantidade de diversão que está a ter ou pelo quanto amas a vida. Poker tem sido uma diversão absoluta, mas eu gosto de pensar que poderia, e deveria, encontrar aquela satisfação no que quer que seja que faça parte. Nunca fui casado com uma única coisa, e continuo a não ser.

Segue-nos no Twitter e Facebook para informações actualizadas no minuto.

Mais notícias

Torneios relacionados

jogadores relacionados

O que pensas?