Mão a Mão nas WSOP com Andrew Brokos

  • Kristty Arnett / Daniel CordeiroKristty Arnett / Daniel Cordeiro
andrewbrokos

Andrew "Foucalt" Brokos é um pro online de cash games que tem um incrível registo no Main Event World Series of Poker. No últimos cinco anos, conseguiu chegar ao dinheiro. Terminou em 279º em 2006, 361º em 2007, 35º em 2008 e está no dinheiro no Main Event 2010. Esteve à conversa com a PokerNews e falou sobre uma mão interessante que jogou no Dia 3 deste ano.

Qual havia sido a interacção entre ti e o teu oponentes nesta mão particular?

Vince Van Patten estava sentado na minha mesa desde o inicio do dia, e não o havia escolhido como um adversário com quem me apetecesse envolver, mas aconteceu de ter mãos quando ele estava no pote e quando estava na big blind. Ele tornou claro que achou que eu o estaria a escolher como oponente. Ele ficou ressentido e achou que eu estaria a tentar levar-lhe as blinds e aumentar todos os seus raises. Fiquei com a sensação que ele estaria farto de mim e que tentaria levar um pote contra mim.

Ok, como começou a mão?

Acabamos num pote three-handed. Alguém fez um raise em early-position, Vince call em late position, e eu fiz call com par de oitos na small blind. O flop trouxe dez-nove-sete, deixando-me open-ended straight draw com duas overcards na board. Todos fizemos check no flop.

Pensaste em liderar no flop?

Na verdade não, pois acho que seria complicado jogar esta mão nas próximas streets caso apostasse aqui. Num flop com esta textura, especialmente com o raiser pré-flop que era. Não o acho capaz de fazer bluff neste flop. Se ele aposta, consigo muita informação sobre a sua mão, e consigo-a de graça se fizer check. Se todos fizermos check, tenho a certeza de que os meus oitos são bons. É um flop com o tipo de textura que leva as pessoas a jogar de modo simples.

Isso é interessante. Em vez de apostares por informação, estás a fazer check por informação.

Sim, essa é uma boa maneira de colocar as coisas. Muita gente acha que tem de apostar para saber onde está, mas se fores bom a ler mãos, grande parte das vezes consegues a mesma informação ou informação tão boa, por muito menos dinheiro.

O que aconteceu no resto da mão?

O turn trouxe um duque ou um terno, uma carta que não alterou nada. A acção chegou a Vince e ele apostou 20.000 o que era quase o pote. Fiz call, e o terceiro jogador fez fold.

O river dobrou o nove, por isso a board mostrava dez-nove-sete-X-nove, e Vinve apostou 30.000 bastante depressa. Aqui achei que algumas pessoas seriam capazes de fazer value-betting com um par de 10 mas não achei que Vince fosse uma delas. Também não o achei capaz de fazer slow-play naquele flop. Para ele ter um full house ou um straight, ele teria de fazer slow-paly com algo no flop, o que não achei que fizesse. Achei que ou teria um nove ou estava em bluff. Sendo que achava que ele estaria farto de mim e que iria tentar levar-me algum pote, fiz o call e vi que estava certo.

A coisa mais significante acerca daquela mão e até lá, é que eu havi conseguido grande parte das minhas fichas a colocar o meu dinheiro em jogo em más alturas e com alguns suck outs. No primeiro dia, fui all-in com valetes frente a áses e consegui um straight no river. Esta foi a primeira mão em que ganhei um montante significante porque joguei bem. Foi um aumento de confiança para mim, o facto de ter conquistado aquela mão.

Queres explicar porque razão apostar não é uma opção naquele river?

Apostar não seria uma boa opção pois ele nunca pagaria com uma mão pior e não o quero para de tentar um bluff. Mesmo sendo uma situação difícil para mim caso ele aposte, vou tentar o call pois é um modo de induzir o bluff.

Parece que conseguiste mesmo sentir o seu ponto de quebra. Como jogador online, como conseguiste sentir isso?

Por vezes consegues sentir isso online também, tal como o timing de alguém pode mudar, mas é muito mais fáceil quando jogas ao vivo. Por vezes apenas consegues dizer que poderás estar na frente, especialmente contra oponentes não profissionais ou que não jogam muitos torneios. Não conseguem manter a postura tão bem. Muitos deles estão emocionalmente envolvidos no torneio que jogam pois é importante para eles, especialmente num evento destes. Vês as emoções das pessoas em altas.

No dia 5, Brokos esteve à conversa com a equipa de video da PokerNews para falar sobre a sua prestação no Main Event WSOP.

Segue-nos no Twitter e Facebook para informações actualizadas no minuto.

Mais notícias

Torneios relacionados

O que pensas?