Slow Play de Damas com John Racener

  • Daniel CordeiroDaniel Cordeiro
John Racener

John Racener, Full Tilt Poker Red Pro, fala-nos da sua estratégia ao jogar par de damas de mão em slow play em mesas no-limit holdem durante uma mão na WSOP Main Event Final Table.

Estavamos 7 e as blinds estavam a 400k/800k com 100k ante. Recebi {Q-Hearts}{Q-Clubs} na small blind e, mesmo com Grinder no botão, a acção chegou em fold até mim. Decidi fazer limp. Tinha cerca de 15 big blinds, e Filippo Candio estava na big blind com uma stack grande – cerca de 35 milhões. Achei que com os prémios a escalar como estavam, e o facto de estar a jogar bem tigh, ele iria fazer raise. Infelizmente, não o fez, e foms ver um flop com {Q-Spades}{7-Diamonds}{4-Diamonds}.

Acertei em top set. Normalmente aposto nesta situação, mas Filippo iria provavelmente tentar tirar-me da mão. Fiz check e ele check atrás, coisa que obviamente não me agradou.

O turn trouxe o {A-Clubs}.

Tinha 100% certeza que ele não segurava um ás, mas achei que se saisse a apostar, ele iria aumentar sabendo que também não tenho ás visto não ter feito raise pré-flop. Optei por apostar metade do pote e ele fez-me apenas call.

O {2-Clubs} caiu no river.

Nesta altura não sabia o que ele teria, mas achei que iria tentar um movimento no river. Sabendo isso, apostei de novo metade do pote, na esperança que ele tentasse um movimento, coisa que acabou por fazer colocando-me all in.

Muita gente nesta situação faria call instantaneo aqui, e normalmente também o faria, mas dado o que estava em risco, quis pensar por um minuto. Achei que apenas poderia ter um double gutter e que estaria a empurrar-me para fora da mão.

Fiz call, conquistanto assim o meu maior pote da noite o que permitiu ficar com algumas fichas para trabalhar.

Segue-nos no Twitter e Facebook para informações actualizadas no minuto.

Mais notícias

Torneios relacionados

jogadores relacionados

O que pensas?