Lenda do poker Mike Sexton morre aos 72 anos - "Fiz do poker a minha vida"

Lenda do poker Mike Sexton morre aos 72 anos - "Fiz do poker a minha vida"

No início de setembro, o mundo do poker ficou a saber que Mike Sexton, um dos maiores embaixadores do jogo, estava a lutar contra um cancro da próstata, já espalhado para outros órgãos. Como resultado, o membro do Poker Hall of Fame começou a receber cuidados paliativos em casa há cerca de um mês.

Infelizmente, a sua amiga de longa data Linda Johnson partilhou que a lenda do poker faleceu neste domingo.

Último capítulo: Um regresso à partypoker

Mike Sexton passou décadas no jogo como jogador, embaixador e comentador, apenas para citar alguns dos papeis que desempenhou no mundo do poker. Adorado por todos os colegas, fãs e jogadores, Sexton viu as suas grandes contribuições para o jogo serem reconhecidas quando integrou o Poker Hall of Fame em 2009. Ao longo da década seguinte, continuou a enriquecer o seu currículo de poker dentro e fora das mesas.

Em 2017, após 15 anos a trabalhar para o WPT como comentador e embaixador, Sexton mudou de funções e ocupou o cargo de presidente da partypoker. "Adoro o World Poker Tour. Foi difícil deixar aquele emprego, mas era uma oportunidade que não podia deixar passar", disse Sexton na altura da mudança.

Sexton tinha uma longa história com a partypoker, já que fez parte da equipa quando a sala se tornou um gigante na indústria nos anos anteriores à legislação anti-poker ter sido aprovada nos Estados Unidos.

"Estive na partypoker desde o início, ainda antes de termos um nome ou ser distribuída qualquer carta virtual", disse Sexton. "Vivi os tempos loucos do boom do poker quando nos tornámos #1 do mundo. Lembro-me de pessoas a dormir no chão do escritório quando estávamos a trabalhar 24 horas por dia para preparar o lançamento do software. Lembro-me ainda do primeiro partypoker Million realizado num cruzeiro, que teve um overlay de $500.000."

Um colega desses tempos iniciais, Mike O'Malley, partilhou no Twitter uma história que retrata a dedicação de Sexton ao jogo e a sua determinação em transformar o poker num fenómeno global.

Segundo O'Malley, os donos da partypoker ficaram preocupados com o prejuízo de $500K e colocaram de lado a hipótese de uma nova edição do partypoker Million. Sexton conseguiu convencê-los a realizar o torneio pelo menos mais uma vez, prometendo que iria ser um sucesso, e com uma campanha publicitária perfeitamente sincronizada e construída em torno do WPT recém-transmitido, as previsões de Sexton concretizaram-se. Depois disso, a empresa descolou e alcançou a liderança da indústria quando o poker online explodiu, seguindo-se o boom do poker.

"Sei que o consenso geral é que foram outros o catalisador do boom do poker", disse O'Malley. "Mas a realidade é que, se vocês conhecessem a história e vissem o que realmente aconteceu, o boom do poker começou antes de Chris Moneymaker jogar uma única mão de poker. E a pessoa mais responsável por isso foi Mike Sexton."

Foco na caridade

Outro tema incontornável ao longo da carreira de Mike Sexton foi o compromisso em ajudar os outros. Quando venceu o WSOP Tournament of Champions para $1 milhão em 2006, a lenda doou metade do prémio para cinco instituições de caridade.

mike sexton caridade

Além de ajudar os mais necessitados, Sexton via as doações para a caridade como uma boa forma de melhorar a imagem negativa que muitos tinham em relação ao jogo.

Mike jogou a edição inaugural do Big One for One Drop — onde terminou ITM para $1,1 milhão — e participou regularmente em torneios que tinham como foco a caridade, como o WPT's Tiger Jam e o WSOP's Salute to Warriors.

"Os maiores adversários do poker não poderão continuar a lutar contra o jogo se começarmos a doar muito dinheiro para instituições de caridade", disse Sexton em 2006. "E por que não? É a coisa certa a fazer."

Fim de uma vida de poker

Sexton uma vez disse à PokerNews que "fiz do poker a minha vida", e não há melhor maneira de descrever as décadas que passou na indústria. Ele desempenhou várias funções dentro e fora do jogo, fazendo diferença em muitas vidas com a sua personalidade altruísta, cheia de humor, e uma voz imediatamente reconhecível.

Segundo o The Hendon Mob, Sexton somou $6.708.146 em prémios nos torneios ao vivo desde 1981. Em 2016, concretizou o sonho de conquistar um título do WPT ao vencer o WPT Montreal Main Event para $317.817. Como resultado, o seu nome foi gravado e imortalizado no prestigiado troféu de campeões. Troféu esse que em julho deste ano mudou de nome para Mike Sexton WPT Champions Cup em sua honra. Sexton considerou esta homenagem o "ponto mais alto" da sua carreira.

mike-sexton-campeao-wpt

Sexton conquistou a sua primeira e única bracelete nas World Series of Poker 1989 quando venceu o Evento #11: $1.500 Limit Seven Card Stud Hi-Lo para $104.400. Além disso, registou dois runner-ups, quatro quartos lugares e dezenas de presenças em mesas finais, incluindo um nono lugar na edição inaugural do Big One for One Drop para $1.109.333, o maior prémio da sua carreira.

A sua famosa despedida no fecho das transmissões do WPT certamente ficará para sempre na memória de todos os fãs de poker:

"May all of your cards be live and may all of your pots be monsters."

A PokerNews junta-se ao resto da comunidade de poker para expressar as condolências à família de Sexton e relembrar tudo o que ele fez pelo jogo.

Sharelines
  • Lenda do poker Mike Sexton morre aos 72 anos - "Fiz do poker a minha vida"

Name Surname
Chief Editor

Mais notícias

Outras Histórias