Psiquiatra Do Poker: Extroversão

Psiquiatra Do Poker: Extroversão 0001

Já todos ouvimos falar de características da personalidade, a que associamos palavras como timidez, alegria, tristeza, entre outras. Mas a teoria das características da personalidade é algo mais complexo, não sendo de estranhar que exista uma relação entre essas características e a forma como uma pessoa joga poker . Esta relação leva-nos àquilo a que podemos chamar "características do poker".

Aquilo que faz com que uma pessoa seja querida pelos outros e se dê bem com toda a gente, não é necessariamente aquilo que faz com que seja um bom jogador de poker. Tal como em tudo na vida, existem aspectos que podemos mudar e outros que mesmo por muito que tentemos permanecem sempre iguais. Vamos dar uma olhadela pelos resultados a que a psicologia chegou nos últimos anos sobre aquilo a que se pode chamar "teoria das características", e ver em que medida estes resultados podem ajudar-nos a melhorar o nosso jogo.

As duas características mais comuns são: extroversão e introversão. Normalmente uma pessoa tende a ser extrovertida e comunicativa ou por outro lado, introvertida, reservada e calada. Como deverá saber, a maioria das pessoas tende a estar no meio destes tipos. Claro que podemos ser reservados na maioria das situações, mas mesmo uma pessoa reservada por natureza tem por vezes "recaídas" de extroversão. Até mesmo o seu amigo que nunca está calado e lhe parece o perfeito exemplo de uma pessoa extrovertida, terá por vezes os seus momentos de paz e silêncio.

Numa mesa de poker, qualquer que seja a sua característica mais forte, ela pode ser benéfica para o seu jogo ou criar-lhe problemas. Em primeiro lugar, fazer uma poker face é muito mais fácil para uma pessoa introvertida. Normalmente as pessoas mais calmas e reservadas têm mais facilidade em esconder as suas emoções na mesa. Por outro lado, os jogadores mais extrovertidos, tendem a falar muito e passam muito mais informação. Se você for extrovertido, provavelmente falará mais rápido e mais alto quando tem uma boa mão e mostrará algum nervosismo quando está a bluffar.

Já os jogadores mais introvertidos, tendem a mostrar excitação quando floppam aquele monstro,após horas e horas a foldar. Esconder este tipo de emoção é muito mais difícil a um jogador introvertido, ele quererá saltar e pular, mas ao mesmo tempo tem de manter a calma e a sua cara plácida. Não é fácil!

O jogador extrovertido, já é por natureza falador e comunicativo, quando tem de pensar durante algum tempo numa mão, todos notarão essa diferença. A chave para isto é mudar, não só o seu jogo como a sua imagem na mesa. Senão achar que deve fazer isto, aplique-se a fundo e seja um mestre agindo apenas de uma destas maneiras. Chris Fergusson é um bom exemplo de um jogador introvertido, demora algum tempo sempre que tem de tomar uma decisão e esconde as suas emoções atrás do seu chapéu e dos seus óculos. Nunca se sabe o que Chris está a pensar.

Daniel Negreanu é um exemplo de um quase-perfeito jogador extrovertido. Ele adora falar, fala quando está a jogar uma mão, quando não está a jogar e adora falar entre mãos. Fala sobre desporto, filmes do rocky e às vezes até fala sobre poker – seja sobre o que for, o que ele gosta é mesmo de falar. Tente tirar alguma tell das palavras de Daniel...

A chave para controlar estas emoções em proveito próprio é conhecer-mo-nos bem. Saber aquilo que fazemos quando estamos em situações de stress e controlar-mo-nos. Não querendo ou conseguindo fazer isto, o que nos resta é ser introvertido/extrovertido por natureza e tentar ter sucesso dessa forma.

Mais notícias

O que pensas?