Estratégia de Poker – Envolver-se Para Aprender Mais

Estratégia de Poker – Envolver-se Para Aprender Mais 0001

Segundo o Super System 2, Jennifer Harmon diz que gosta de ficar a estudar os seus adversários quando chega a uma mesa. Doyle Brunson e muitos outros profissionais partilham de uma sabedoria similar nos seus livros. A ideia geral é que podemos aprender muito dos nossos adversários só por observá-los enquanto nós não estamos a participar num pot, e esta informação é-lhe fornecida de borla.

Escrevo estas palavras, mas sinto que o meu conselho é de alguma forma "incompleto". Existe um elemento que não entra em consideração quando está a observar uma mão em que não participa: como é que os seus oponentes reagem a si.

Estudando os jogadores quando se está fora da mesa, dir-nos-á se esse jogador está em tilt ou a jogar o seu melhor poker. Também poderá se aperceber quem está a jogar descontraído e quem está a jogar conservadoramente.

Mas poderão surgir-lhe inconvenientes e oportunidades perdidas se você não observar como é que os seus oponentes reagem perante si em particular.

Por exemplo: acabo de me sentar numa mesa em que um senhor de meia-idade está a jogar descontraída e agressivamente. Tem muitas fichas à sua frente. Ao observá-lo enquanto ainda não estava na mesa, pude notar que:

a) Ele apostava se todos fizessem check.

b) Se alguém apostasse contra si, pagaria até ao river com qualquer tipo de mão, mesmo com gutshots.

c) Se no entanto, no flop não tivesse qualquer tipo de ligação, nunca apostaria nem faria call.

d) Semi-bluff não funcionava contra ele. Sempre que alguém tentava fazer-lhe um semi-bluff no flop, faria call e apostava no turn, fosse que carta fosse que saísse.

e) Se alguém lhe fizesse raise no flop, ele faria call mais vezes do que fold.

f) Se tivesse qualquer tipo de mão no river faria sempre call. Por exemplo: A-10-7-4-J, ele faria call no river sem hesitar.

Dadas estas observações, um jogo seguro parece-nos ser a melhor aproximação. Por fim calharam-me KK. Ele faz-me raise pré-flop de uma posição média e isolei-o com um reraise. O flop foi Q-6-3. Ele apostou (como de costume) e eu fiz call pensando que valeria a pena fazer slowplay. Ele fez check no turn. Apostei e para minha surpresa ele fez fold rapidamente.

Considerei isto muito peculiar e tomei uma nota mental. Umas mãos mais tarde tive a sorte de me sair KK outra vez. Fiz raise preflop e ele fez call. Flop veio 10-9-5. Ele aposta e eu faço raise. Ele fez call e veio um 3 no turn. Ele fez check, eu apostei e ele saiu da jogada.

Agora já tinha jogado com ele muitas vezes e normalmente era muito conservador. Acredito que ele pensava que:

a) Eu irei fazer check e fold quando não tiver nada; e

b) Eu tenho uma grande mão quando faço raise no flop ou aposto no turn.

Por outras palavras, este jogador percebeu parcialmente qual era o meu plano de apostas, apostando no flop porque sabia que se eu não tivesse nada, faria fold. Contudo, se fizesse call ou raise no flop, isto preocupava-o e abandonava facilmente o pot.

Por isso mudei a minha táctica e fiz o que muitos chamariam de ilógico: comecei a fazer mais bluffs com grande sucesso. Num pot fiz check-raise num semibluff no turn e sai-me bem. Noutra mão, fiz raise no flop e ganhei uma carta de borla – coisa que nenhum outro jogador na mesa tinha conseguido contra este jogador particular.

Esta história ilustra simplesmente que as suas observações realizadas quando não está a jogar poderão não oferecer-lhe a informação suficiente acerca de como jogarão os seus oponentes contra si. Tem de considerar a sua imagem na mesa e a única maneira de obter esta informação acerca de si é se envolvendo em alguns pots e ver qual a reacção dos seus oponentes em relação a si. Se se basear apenas nas suas observações exteriores, está a pressupor que os seus oponentes jogarão da mesma maneira quando você estiver sentado na mesa. Quando subir de limites, verá que não é bem este o caso.

E quando digo "envolva-se em alguns pots" não digo envolver-se com AA, KK, AK. Jogue com mãos perdedoras e veja se os seus adversários jogam contra si. Lembro-me de estar sentado numa mesa a ver uma vitória num torneio. Verifiquei que um jogador em particular estava muito preocupado comigo. Embora este jogador não tivesse medo de apostar em mãos marginais. Mas quando apanhou QQ contra os meus 8-7 com K-9-7 no flop, deu-me cartas de borla até ao river. Quando apanhei o meu milagroso 6 no river, ele apostou contra mim. Uma vez que este jogador não costuma dar cartas de borla aos outros jogadores, decidi jogar mãos com possibilidade de cor ou sequência contra ele.

Enquanto observa este oponente a jogar conservadoramente contra outros jogadores (enquanto o observa de fora), este jogador poderá participar em mais pots com mãos fracas quando você fizer raise preflop, simplesmente porque ele quer vingar-se de si. Quando isto acontece, tem de mudar o seu jogo para conservador e observar o seu opositor a jogar muitas mãos enquanto você segura um AA.

Nota Ed: O Heads Up é a forma mais pura do poker. Poderá encontrar acção em Heads Up na Poker 770.

Mais notícias

O que pensas?