Agora ao vivo Unibet Open Bucharest

PokerNews Top10 - As 10 Maiores Bad Beats em Grandes Torneios

PokerNews Top10 - As 10 Maiores Bad Beats em Grandes Torneios 0001

Toda a gente tem uma história sobre uma bad beat para contar. As beats são o pior que nos pode acontecer num jogo de poker, destroem-nos a alma, e algumas delas mudam o curso da história. De todas as histórias que existem, estas 10, são consideradas mais importantes pelo seu significado e consequências. Dê uma olhadela ao nosso Top10 de Bad Beats.

10. Aaron Kanter vs. Greg Raymer, Main Event das WSOP em 2005

Com apenas 25 jogadores em jogo, Greg Raymer estava a tentar fazer o impensável – ganhar por 2 anos consecutivos o Main Event das WSOP – antes de levar uma bad beat que poderia fazer que outro homem que não Greg, deixasse de jogar para sempre. Com {k-Hearts}{k-Diamonds}, Raymer fez um open raise normal e foi called por Aaron Kanter que tinha na mão {q-Hearts}{j-Hearts}. O flop foi 6 5 3 às cores (rainbow) e Raymer fez uma c-bet de meio pote. Kanter fez call. O turn trouxe um {7-Hearts}, ficando 2 copas na board, e Greg aposta 330,000 o que é mais ou menos meio pote outra vez. Kanter fez re-raise para 900,000 e Greg responde com re-raise all in de mais 700,000. Kanter faz call em flushdraw e vê o river trazer-lhe um {2-Hearts} e o consequente double up, deixando Greg a soro. Se a mão tivesse sido ganha por Raymer, ele teria ficado chip leader do torneio, tal não aconteceu e foi eliminado em 25ºlugar.

9. John D'Agostino vs. Hoyt Corkins, U.S. Poker Championships em 2004

Tanto John D'Agostino (615,000) como Hoyt Corkins (616,000) tinham stacks bastante interessantes quando restavam apenas 6 jogadores em jogo no Main Event de $10,000 doU.S. Poker Championships. Agostino tinha chegado à final table na chip lead do torneio,mas algumas bad beats levaram-lhe metade da stack. Com todos os jogadores a foldarem até à small blind de Corkins, ele optou por fazer uma jogada mais agressiva e foi all in com {7-Hearts}{8-Diamonds}. Agostino olhou para a sua mão e viu {10-Spades}{10-Clubs}, o call foi instantâneo, quando viu a mão de Corkins ficou contente. O flop trouxe {j-Hearts}{7-Spades}{7-Clubs} e Corkins fez logo trio. O comentador da ESPN, Norman Chad disse: " Eu não sei como é que D'Agostino não deu um pontapé na mesa – isto é surreal!"

Para que a bad beat fosse ainda mais completa, o turn trouxe um {7-Diamonds} e Agostino ficou logo drawing dead. Demorou algum tempo a contagem de fichas de Corkins e Agostino, e quando terminou, Agostino ficou em jogo com uma ficha vermelha de 1,000. John levou uma série de bad beats que o levaram da chip lead ao rail, e o adversário foi quase sempre Corkins. Foi muito para um homem só.

8. Al Ardebili vs. Ricardo Festejo, WPT Borgata Open em 2005

O jogo decorria head's-up e Ricardo Festejo tinha a stack de Al Ardebili coberta com mais de 1 milhão de fichas, quando fez limp de A2 e Ardebili fez check com {2-Diamonds}{3-Diamonds}. Os 2 jogadores acertaram um par baixo no flop {k-Spades}{7-Diamonds}{2-Spades}. Ardebili fez check, Ricardo fez bet de 1 milhão e recebeu como resposta um all in por parte de Ardebili. A decisão de Ricardo era difícil, estava em jogo 90% da sua stack, pensou durante uma eternidade e acabou por fazer um fantástico call. Ardebili estava completamente dominado e conformado com o 2º lugar, até que no turn sai um 3 dando-lhe o segundo par. Festejo ainda tinha alguns outs no river, nenhum deles saiu e Ardebili ficou com uma chip lead de 9:1 sobre Ricardo. Depois desta mão, não demorou muito a Ardebili ganhar o torneio e levar para casa $1,4 milhões de dólares.

7. Cory Zeidman vs. Jennifer Harman, Main Event das WSOP em 2005

É sempre interessante ver uma grande mão no início de um torneio. Isto deve ter sido o que Jennifer Harman pensou quando olhou para a sua mão e viu {q-Diamonds}{q-Clubs}, fez raise para 200, ainda se jogava o primeiro nível do torneio. Cory Zeidman, que tinha posição sobe Jennifer, fez call com {8-Diamonds}{9-Diamonds} e Brad Davis na big blind fez call com {a-Spades}{6-Diamonds}. O flop foi {10-Spades}{j-Diamonds}{q-Hearts}, dando top set a Harman e sequência a Cory. Davis checkou, Jennifer apostou 500 e Cory fez raise para 2000. Davis foldou e a acção estava de volta a Jennifer que faz call (talvez pensado que Zeidaman tinha AK ou o 89, que realmente tinha. O turn não poderia ser melhor para Harman, um {10-Diamonds} dava-lhe o nuts. Ela checkou e Zeidman aposta 1000, Jennifer faz raise para 3000. Murmurando algo sobre um possível AK na mão de Jennifer Zeidman acaba por fazer o call.

No river, estavam ambos a jogar para um out. Zeidman estava num straight flush draw, Jennifer tinha a {q-Diamonds}, por isso apenas lhe restava o {7-Diamonds}. Na verdade, o milagroso {7-Diamonds} apareceu no river, dando o esperado straight flush a Zeidman contra o full house de Jennifer. Jennifer apostou 3000, que era o valor que restava a Zeidman, e ele fez o call dizendo: " Bom, se perder esta mão, ao menos, posso ir passear e ver as vistas.". Zeidman joga para a mesa as suas cartas mostrando o seu straight flush e Harman ficou incrédula, acabando por ser eliminada poucas mãos a seguir. Não é normal ver Jennifer a sair da mesa em tilt, mas desta vez ela não se conseguiu conter.

6. Chris "Jesus" Ferguson vs. T.J. Cloutier, Main Event das WSOP em 2000

T.J.Cloutier já tinha ficado em segundo no Main Event das WSOP em 1985, mas desta vez ele não pode ficar chateado por ter posto todas as suas fichas no centro da mesa com a melhor mão. Cloutier foi all in com {a-Diamonds}{q-Clubs} e "bateu" no {a-Spades}{9-Clubs}, o flop foi {k-Clubs}{4-Hearts}{2-Hearts}, o turn trouxe um {k-Hearts} e quando tudo parecia bem encaminhado para T.J ganhar a mão… o river trouxe um {9-Hearts}. Esse {9-Hearts} fez nascer uma estrela nessa noite, o seu nome? Chris "Jesus" Fergusson.

5. Danny Nguyen vs. Shandor Szentkuti, WPT Bay 101 Shooting Stars em 2005

Numa das piores bad beats alguma vez testemunhadas por uma câmara de televisão, o antigo dealer Danny Nguyen, foi all in com {a-Diamonds}{7-Diamonds} e foi called por Shandor Szentkuti que tinha {a-Spades}{k-Clubs}. O flop foi {k-Hearts}{5-Hearts}{5-Spades} com Szentkuti a fazer 2 pares e a ficar com 99,5% de probabilidades de ganhar a mão. A única hipótese que Nguyen tinha de ganhar a mão era fazer full house, saindo no turn e river 7's. E foi o que aconteceu, no turn apareceu um {7-Clubs} e no river um {7-Spades}. Nguyen não só sobreviveu à mão, como acabou por ganhar o torneio, ao eliminar os seus últimos 5 adversários da final table.

4. Alan Goehring vs. J.C. Tran, WPT L.A. Poker Classic em 2006

J.C. Tran levará certamente esta bad beat consigo para o túmulo. Com par de ases na mão, Tran fez raise pré-flop e levou com re-raise all da small blind, Alan Goehring. Tran faz o call como é natural, e ficou bastante satisfeito quando viu o par de 5's na mão de Alan. O flop foi {8-Spades}{7-Spades}{2-Spades}, o que fez tran ficar ainda mais à frente, pois tinha o ás de espadas. Depois disto, a única hipótese de Alan ganhar a mão era fazer uma sequência, mas sem o {5-Spades} pois dessa forma Tran faria flush. O turn trouxe um 2 e no river veio um dos dois outs que Alan tinha, o {5-Clubs}. Ao ver o {5-Clubs} Alan ficou tão contente que começou a dançar à volta da mesa, enquanto Tran saia devastado da mesa. Tran foi eliminado em 5º lugar e Alan acabou por ganhar o torneio e os $2,4 milhões de dólares do prémio.

3. Chris Moneymaker vs. Phil Ivey, Main Event das WSOP em 2003

Se existe um river que tenha marcado a história do poker, bom, foi este. Com apenas 10 jogadores em jogo, no Main Event das WSOP em 2003, Chris Moneymaker apanhou-se com {a-Diamonds}{q-Clubs} nas mãos e fez raise pré-flop, Phil Ivey com {9-Spades}{9-Hearts} fez call. Moneymaker fez trio no flop {q-Hearts}{q-Spades}{6-Spades} e apostou 70,000. Ivey fez novamente o call. O turn é um {9-Clubs} e Ivey faz full house. Moneymaker continua a apostar e desta vez dispara 200,000, Ivey não pensa duas vezes e vai all in, Chris faz insta call. Ivey só tinha de evitar um ás, um 6, ou a última dama do baralho para eliminar Moneymaker.No river sai um ás e Chris vence a mão, mão esta que se pode afirmar, levou ao boom do poker, após a vitória final de Chris Moneymaker.

2. Doyle Brunson vs. Jesse Alto, 1976 WSOP Main Event

Muitos dos fãs do poker podem não saber, mas a primeira bracelete que Doyle Brunson ganhou foi obra de um suckout monstruoso. Jesse Alto fez raise no botão com {a-Spades}{j-Diamonds}, e Doyle faz call com o seu {10-Spades}{2-Spades}. O flop traz A J T, que dá 2 pares a Jesse e bottom pair a Doyle. Brunson faz check, Jesse aposta e Brunson responde com raise all in na esperança que Jesse foldasse. Claro que Alto não foldou e vamos agora ver o turn. O turn foi um 2 e o river um T, dando full house e a primeira de muitas braceletes das WSOP conquistadas por Doyle Brunson. A partir deste momento a mão T2 foi baptizada de "The Brunson".

1. Hal Fowler vs. Bobby Hoff, Main Event das WSOP em 1979

Muitos dos fãs de poker nem sequer questionam qual será a pior bad beat da história das WSOP, apontam rapidamente para esta. À trinta anos atrás, o amador Hal Fowler conseguiu chegar à final table do Main Event das WSOP. Embora estive short e rodeado dos melhores profissionais da altura, Johnny Moss ou Bobby Baldwin, Fowler sobreviveu mão após mão, até chegar ao head's-up contra Bobby Hoff. Depois de 5 horas de jogo, Fowler tinha uma pequena vantagem em fichas sobre Bobby, quando aconteceu esta lendária mão. Hoff raisou no botão com {a-Clubs}{a-Hearts} e Fowler fez call com {7-Spades}{6-Diamonds} na big blind. O flop foi {j-Spades}{5-Hearts}{3-Clubs} e Hoff apostou 40,000 num pote de 76,000. Embora só tenha floppado um gutshot straight draw, Fowler decidiu fazer call. No turn, e vindo do céu, um {4-Spades} aterra na board, dando sequência a Fowler. Hoff foi all in das suas restantes 430,000 fichas e Fowler faz insta call. O turn trouxe um {10-Diamonds} e nada se alterou, os dois jogadores viraram as suas cartas e o {7-Spades}{6-Diamonds} de Fowler levou a melhor sobre os ases de Hoff.

Menção Honrosa: Robert Varkonyi vs. Phil Hellmuth, Main Event das WSOP em 2002

Ok… de alguma forma teríamos de incluir esta mão num sítio qualquer. Não será a pior bad beat, estatisticamente, mas por causa dela um homem rapou o seu cabelo. No dia 3 do Main Event das WSOP em 2002, Phil Hellmuth foi eliminado por Robert Varkonyi após jogarem a seguinte mão: Robert abriu o pote com uma aposta de 8,000 e Phil fez raise para 25,000. Rober decidiu meter pressão em Phill e foi all in. Acreditando que tinha mesmo a melhor mão, Phil fez call com {a-Hearts}{k-Hearts}. Robert vitou {q-Clubs}{10-Clubs}. O flop A Q T deu 2 pares a Robert e o turn e o river não alteraram nada, não restando mais que o rail para Phil. Como é habitual, Phil passou-se, se calhar por ter feito call quando só era favorito 3/2 e não pela sorte de Rovert.

Take II: A final table. Phil estava a comentar em conjunto com Gabe Kaplan, quando na primeira mão Robert perdeu 2/3 da sua stack contra Julian Gardner, quando os seus 9's esbarraram nos ases de Julian. Hellmuth disse então: " Se o Robert Varkonyi ganhar o torneio eu rapo o meu cabelo!"

Gardner e Robert acabaram head's-up e a vitória sorriu a Robert novamente com QT nas mãos. Fez full house contra o flush de Gardner. Imediatamente após Robert receber a bracelete, um grupo constituído por: Becky Behnen, David "Devilfish" Ulliott, Andy Glazer e outros, revezaram-se a cortar o cabelo a Phill.

Mais notícias

Torneios relacionados

jogadores relacionados

O que pensas?