Agora ao vivo Unibet Open Bucharest

Entrevista PokerNews: Kara Scott

Entrevista PokerNews: Kara Scott 0001

Kara Scott acabou de iniciar a sua carreira como jogadora de poker. A apresentadora do PokerStars European Poker Tour é uma cara conhecida dos jogadores de poker do Reino Unido pois Kara foi apresentadora dos programas "Sky Poker" e "Poker Night Live".

Mas recentemente revelou o seu talento nas mesas. No mês passado Kara ganhou €312,600 ao acabar em 2º lugar o Paddy Power Poker Irish Open.

Kara figura no nosso Top 10 de jogadoras a observar durante as WSOP, e deu-nos uma entrevista recentemente.

PokerNews: Acabaste de ficar em segundo lugar num dos maiores torneios da Europa. Já interiorizaste isso?

Kara Scott: Começo a aperceber-me agora, na verdade levantei-me às 9:00 na manhã seguinte e fui fazer gravações de voz para a Poker Stars; todos ficaram muito surpreendidos por eu aparecer após aquele resultado. Depois disso estive em Monte Carlo na Grande Final do EPT, e com todo o trabalho que tive, nem pensei muito no resultado que alcancei. Agora que a season do EPT terminou, começo a pensar que realmente foi um grande feito.

PN: Estiveste muito perto de ganhar aquele titulo, estás triste por não o teres conseguido ou feliz pelo resultado alcançado?

Scott: É engraçado, entrevistei o Denes Kalo, que ficou em segundo no EPT Monte Carlo no ano passado e em 2º também no EPT de Baden do ano anterior, e ele cumprimentou-me assim: "Bem vinda ao clube dos segundos classificados! – não é muito mau ser segundo pois não?", e eu respondi: "Não, não é!". Estou satisfeita com o que alcancei, foi apenas o meu quinto grande torneio ao vivo. No Main Event das WSOP do ano passado fiquei em 104º lugar e ganhei $41,186, no EPT de Budapeste também fiz ITM (€5,320) e agora aconteceu isto, cheguei ao dinheiro em 3 das minhas 5 participações em torneios ao vivo. (A Kara esqueceu-se de mencionar que ganhou o Party Poker Star Challenge no ano passado(£26,000.) Naquele momento fiquei um pouco desapontada mas com o tempo passou, perder para o Christer Johansson não é nenhuma vergonha, ele é um grande jogador.

PN: Estás €312,600 mais rica, tens alguns planos para esse dinheiro ou vai voltar ao mundo do poker de onde saiu?

Entrevista PokerNews: Kara Scott 101

Scott: Vou investir o dinheiro mas com calma. Por sorte o dinheiro ainda não estava na minha conta em Monte Carlo, senão poderia ter sido desastroso. Podes ir à falência naquele sítio simplesmente a pagar uma rodada de bebidas. Todas as estrelas dos high-stakes cash me convidaram para jogar com eles; eles adoram quando alguém ganha um grande torneio e quer jogar com eles. É claro que vou jogar alguns torneios com aquele dinheiro, alguns no Reino Unido e nas WSOP, e também vou viajar.

PN: Quais são os teus planos para as World Series deste ano?

Scott: Agora que voltei do EPT vou olhar para o calendário das WSOP e decidir o que vou jogar. Gostava de jogar o Main Event, depois da minha boa prestação o ano passado, e jogar alguns torneios mais pequenos. De certeza que também irei jogar alguns torneios deep stack no Caesars e no Venetian.

PN: Estás no nosso top 10 das jogadoras a ter em atenção nas WSOP deste ano. Achas que vai ser um bom ano para as senhoras?

Scott: Estes são bons tempos para as jogadoras de poker, Kathy Liebert, Sandra Naujoks e mais recentemente a Vanessa Rousso estão a ter prestações brilhantes em torneios com fields grandes. As mulheres têm muito mais visibilidade do que tinham, aparecem mais na imprensa, e claro, estão a alcançar resultados que suportam isso tudo. Penso que no futuro vamos ver os sites a patrocinarem mais mulheres. Existem boas possibilidades de vermos uma mulher ganhar uma bracelete este ano, embora os fields sejam grandes e a percentagem de participação feminina não seja assim tão elevada.

PN: Para terminar, alguns jogadores são um pouco cépticos em relação às celebridades que se tornam jogadores de poker, achas que és levada a sério pelos profissionais do circuito?

Scott: Compreendo esse cepticismo quando eles me vêm jogar, eu sou apresentadora de TV e esse estigma é difícil de ultrapassar. Por sorte, estes resultados mais recentes fizeram com que me levem mais a sério hoje em dia. Continuo a trabalhar para a Poker Stars como apresentadora e por vezes como jogadora patrocinada. Ganhei um torneio na televisão britânica (PartyPoker Sports Star Challenge) e isso deu-me a oportunidade de jogar torneios ao vivo como o EPT, espero continuar a jogá-los no futuro.

Mais notícias

O que pensas?