Mesa Redonda do Poker 2009, Vol. 1

Mesa Redonda do Poker 2009, Vol. 1 0001

Prefácio do Editor: A PokerNews dá as boas vindas ao novo ano pedindo a alguns dos especialistas da indústria para partilharem connosco a sua opinião em relação ao passado, presente e ainda mais importante, o futuro do poker. Ao longo dos próximos dias, os pareceres destes especialistas servirão para descrever a forma do mundo moderno do poker e fornecer uma indicação do que podemos esperar para 2009 e para os próximos anos. A PokerNews informa que a opinião destes especialistas pode não coincidir com o ponto de vista da PokerNews.

Para a pergunta de hoje tivemos o contributo de: Matthew Parvis, Editor Chefe da Bluff Magazine; Brian Balsbaugh, fundador da agência Poker Royalty, que representa grandes nomes do poker mundial; Jeffrey Pollack, Comissário das World Series of Poker; Paul "Dr. Pauly" McGuire, autor do blog Tao of Poker e Colunista na Bluff Magazine; Fundador da PokerDB, Nat Arem; reconhecido director da sala de poker do Commerce Casino, Matthew Savage; e o famoso jogador de high-stakes cash e torneios, Barry Greenstein, membro da Team PokerStars Pro.

Pergunta do dia: Foi enviado de volta no tempo para o dia 1 de Janeiro de 2003. Se pudesse, qual dos factores associados ao 'poker boom' prevenia ou mudaria?

Matthew Parvis: Se pudesse tinha impedido a ESPN de demorar seis meses para transmitir a cobertura e mudaria a mesma para uma altura mais oportuna. Penso que a ESPN e a World Poker Tour, na altura, não sabiam bem a dimensão que o poker ia ganhar, criando um produto que garantia por si só o poder de venda. O interesse dos fãs neste tipo de programa não será o mesmo a partir do momento em que já conhecem o desfecho do mesmo. Ninguém vai estar interessado no Super Bowl se souber quem foi o vencedor antes de assistir à sua transmissão.

Brian Balsbaugh: Se eu tivesse uma varinha mágica e pudesse mudar alguma coisa em 2003, seria a ambiguidade legal em torno do poker online. Em vez de lidar com operadores offshore, eu negociaria com a Microsoft, Yahoo, MGM, Harrah's e o Google. No mínimo, iria abrir a porta para mais patrocínios e proporcionar uma maior concorrência e oferta para os jogadores. Esta tem sido a nuvem negra que circunda o poker e estou esperançoso que não demorará muito para o poker online ser regulado.

Jeffrey Pollack: Essa é uma grande questão... Se eu fosse enviado de volta no tempo para 2003, teria incentivado o Harrah's para fazer a aquisição do World Series of Poker mais cedo, permitiu-me colocar a equipa no lugar certo. Teria sido agradável ter começado a fazer o que temos vindo a fazer desde 2005, dois anos antes no tempo. Seria tudo ainda mais interessante e divertido.

Nat Arem: Se eu pudesse mudar alguma coisa, então seria…eu sei que pode soar mal porque foi uma indústria que eu ajudei a desenvolver, mas desejaria que todas as coisas que tornam o poker menos 'fishy' nunca se tivessem desenvolvido. Isso incluiria coisas como 'datamining', como o que fazemos no PokerDB e todas as outras coisas. Incluiria também a CardRunners e a StoxPoker. Coisas como o rackback, quem me dera que não existissem. Todas estas coisas. Gostavam que nunca tivessem aparecido no mercado. Não existe nada que possa fazer para o impedir. A razão é pelo facto de o poker se tornar num negócio quase exclusivamente para os bons jogadores extraírem o mais rapidamente possível, o máximo de dinheiro, dos maus jogadores. Eu sei que os bons jogadores vão ganhar e quanto a isso não há nada a fazer.

Dr. Pauly: A minha resposta imediata seria apresentar grandes sacos de dinheiro a alguns membros-chave na nossa sociedade que supostamente controlam o poder. Então essa seria a grande vantagem em subornos para pessoas no IRS, o Departamento de Justiça, Dick Cheney, e alguns membros importantes do Congresso. Acredito firmemente que se os políticos e certos membros da indústria bancária tivessem as suas 'palms greased' antes de tudo isso, olhavam de outra forma para esta indústria e não teriam ignorado qualquer tipo de campanha pró-UIGEA, que poderia ter impedido a UIGEA ficar anexada ao projeto de segurança.

Matthew Savage: Eu desejaria que as WSOP fossem menos corporativas. Se perguntar a qualquer profissional, todos eles vão concordar que o poker era mais divertido e que grande parte da tradição foi perdida. No entanto, sei que o Harra's tem feito muito para ajudar o crescimento do jogo.

Barry Greenstein: É bem claro que existem três factores associados ao 'poker boom' na internet. Um é o chamado 'Moneymaker Effect', onde um jogador com depois de gastar $40 em alguns satélites saiu de Las Vegas com o título. Sendo ele uma pessoa como qualquer outra, muitos outros tentaram fazer o mesmo. Depois com o aparecimento das micro-câmaras nas mesas, conseguimos ver o que os jogadores faziam, tornando muito mais interessantes as coberturas televisivas. O terceiro factor atribuído ao 'boom' foi o facto de a internet ser um terreno fértil e de as salas de poker terem muito dinheiro para gastar em publicidade, nomeadamente em programas de televisão.

Estes são os principais factores atribuídos ao 'poker boom' e a coisa que eu teria com certeza feito de forma diferente, seria a forma como os sites trataram a politica e a potencialidade da UIGEA.

Mais notícias

Torneios relacionados

jogadores relacionados

O que pensas?