O Outro Lado do Pano, Vol. 7: Dewey Tomko, Parte 2

O Outro Lado do Pano, Vol. 7: Dewey Tomko, Parte 2 0001

Um Grande Contador de Histórias

Sempre gostei de passar o tempo com o Dewey, já que temos muitos gostos em comum – poker, golf e somos apreciadores de boa comida, apesar de não parecer. Ele tem algumas das melhores histórias do mundo, e alguns dos melhores amigos e sócios incluindo Jack Binion, Doyle Brunson, o falecido Chip Reese e Stu Ungar. Se misturarem este grupo com poker, golf, e apostas em poker e golf, teremos horas de entretenimento e histórias interessantes. Aqui estão algumas das histórias que partilhou comigo (pelo menos aquelas que posso contar aqui).

Dewey e Doyle Brunson: "Nos finais dos anos 70 e início dos anos 80, o Doyle e o Jack costumavam ligar-me da Florida antes dos grandes encontros. Recordo-me de uma vez o Doyle ligar-me para Nashville e eu vinha de uma maratona de 48 horas de poker. Eu levei a minha banca toda comigo, mas disse ao Doyle que não jogava com ele enquanto não tivesse dormido. Não sei bem como, ele convenceu-me a jogar e quando acabámos de "praticar", o Doyle já me tinha levado todo o dinheiro que tinha ($98,000) e eu tinha de voltar para o meu emprego de professor a ganhar $6,400 por ano ainda antes de ter entrado no hotel. Foi a primeira de muitas vezes que o Doyle me levou á ruína, mas para isso é que servem os amigos."

Dewey também fala de Doyle como sendo um dos viajantes mais poupados naqueles dias, apesar disso diz que ele, o Chip e o Doyle tinham muito dinheiro e investiram em estações televisivas, uma das quais em Mobile no Alabama. Após 3 anos onde não víamos o nosso investimento rentabilizado, decidimos ir os três a Mobile. "Doyle tratou de nos arranjar alojamento, e encontrou o pior e mais barato hotel que havia na cidade," diz Dewey. "Estávamos com tanto medo de ser assaltados que nos ajoelhamos no chão do quarto e começámos a rezar! Durante anos, eu e o Chip rimos bastante sobre aquela noite em Mobile."

Dewey sobre Stu Ungar:

"Muitos não sabem o grande atleta que ele era, mas também era provavelmente o pior 'gambler' de todos os tempos. Ele vinha a minha casa na Florida em visitas sociais, e não havia vez em que não acabasse em competições desportivas. Seja golf, ping pong ou basket, o Stu encontrava sempre forma de me deixar todo o seu dinheiro. Na sua última viagem a Florida ele acabou por perder $30,000 para os meus filhos de 11 e 13 anos em lançamentos livres."

A regra de Dewey por muitos anos era "Aposta com os teus amigos, para que os teus inimigos não se cheguem perto".

O Maior 'Gambler' no Golf

Por incrível que pareça, os ganhos no poker não estão entre os maiores ganhos ou percas na vida dele; vêm essencialmente dos campos de golf no país e no mundo. Houve uma altura onde ele era considerado o maior 'gambler' de golf no mundo, ganhando e perdendo milhões de dólares numa única volta. Os jogos de Dewey são lendários e ele tentou sempre criar os jogos mais justos possíveis, ao contrário de alguns jogadores de poker hoje em dia. "Eu acredito que se deve criar um jogo onde ambos os lados têm hipótese de vencer, dependendo de como estão a jogar naquele dia." Ele é o primeiro a admitir que ganhou a maior parte dos encontros, no entanto tem uma regra, "Tem de fazer doer se um de nós perder, dessa forma, lidar com a pressão passa também a fazer parte do jogo."

No passado Dewey jogou contra muitos jogadores profissionais, que jogavam bem melhor que ele, mas tinha de ter a garantia que o profissional estava a jogar por um valor suficientemente alto que estivesse fora do seu nível de conforto. "Buracos de 4 pancadas tornam-se bem mais complicados quando temos umas centenas de milhares de dólares em jogo," diz Dewey. A carreira de Dewey no golf também o arrastou para negócios no mundo do golf, construindo e gerindo um campo de golf e agora na televisão, onde tem o seu próprio programa de golf juntamente com Doyle e que passa na ESPN.

O Outro Lado do Pano, Vol. 7: Dewey Tomko, Parte 2 101

Dewey e Marianella na Costa Rica em Março 2008

Dewey Pertence á Galeria dos Famosos no Poker… e Provavelmente á do Golf também

Quando disse que ele definitivamente merecia a honra de estar nesta galeria, e lhe perguntei o que achava sobre isso, Dewey revirou os olhos e disse-me que seria engraçado, mas que nunca foi atrás de troféus ou títulos, e que apenas jogava poker com um propósito… Dinheiro. O dinheiro sempre foi o seu objectivo, seja poker, golf ou apostas desportivas. Eu acho que o seu currículo é merecedor de lá estar como o Doyle, Chip, TJ Cloutier, Phill Hellmuth e tantos outros jogadores antes dele que já lá estão. Quando perguntei a alguns amigos o que achavam de Dewey ser indicado para pertencer a esse grupo, as respostas foram estas:

Doyle Brunsou:: "Dewey é um dos melhores jogadores de poker com que já joguei, e é subvalorizado porque não procura as luzes da fama. O seu sucesso em torneios é ofuscado pelo seu jogo em mesas a dinheiro, onde é um dos melhores de sempre! Tenho a certeza que ele é o melhor jogador que ainda não está na galeria dos famosos."

TJ Cloutier: "Não existe ninguém que esteja de fora, que mereça mais esse galardão que o Dewey. Ele faz parte integrante do mundo do poker desde os últimos 30 anos. Sempre foi um jogador de classe e dos melhores do mundo."

. . .

Neste ponto acho que tenho uma boa "leitura" no Dewey e acredito que o galardão representaria muito para ele. Pertencer á galeria dos famosos seria o coroar das conquistas e a validação merecida da sua incrível vida.

Encontramo-nos na mesa final!

Matt


Matt Savage é um dos directores de torneio mais reconhecido mundialmente, e já esteve envolvido em mais de 350 eventos televisionados, incluindo as WSOP, o WPT, e muitos outros. Matt é um dos fundadores da Associação de Directores de Torneio, o primeiro a ser induzido no Poker Managers Hall Of Fame, e actor no filme Lucky You. Se tens algumas questões sobre algumas regras, por favor envia-as para AskTheBoard@PokerTDA.com ou então procura no website de Matt SavageTournaments.com

Mais notícias

O que pensas?