Agora ao vivo Unibet Open Bucharest

Tornar-se Aceite Como Um Jogador de Poker – Parte 1

Tornar-se Aceite Como Um Jogador de Poker – Parte 1 0001

Desde que tive idade suficiente para entrar numa casa de apostas, que tenho o gosto por apostar. Começou com umas apostas de algumas libras em jogos de futebol e nunca se tornou muito mais que isso. Apostas de 5-20 libras no futebol, box e nada mais que isso, e em raras ocasiões apostaria 50 libras com o meu pai em algum combate de boxe muito grande, mas isto só em ocasiões especiais. Eu não ganhava muito, nem perdia muito.

Infelizmente alguns dos meus amigos eram mais aventureiros e apostariam milhares de libras em quantos pontapés de canto haveriam num jogo de futebol da segunda divisão Húngara, e por estar associado a eles ficava com a mesma reputação. Não importava que apenas gastava em apostas o mesmo que se pode gastar ao fumar, beber ou algum passatempo barato, mas estas apostas faziam-me parecer um apostador aos olhos de minha mãe, e da miúda com quem namorava na altura. Não há nada de errado com isto, é da Natureza Humana ser defensivo em relação às coisas que não conhecemos.

Depois veio o poker.

Quando comecei a jogar, era só apostar. Não sabia o que estava fazendo, achava que carta alta Valete era bom (e todos nós sabemos que carta alta Dama é melhor). E fazia call a certas mãos na esperança de atingir mãos impossíveis. Mas depois melhorei e comecei a ler sobre poker e os resultados foram melhorando. Agora poker não é um jogo, qualquer vitória que tenha foi porque mereci e qualquer derrota foi por minha culpa, mesmo quando a probabilidade era a meu favor.

Por isso o dia em que tive a minha primeira vitória significante, achei que era altura de me dar uma pancadinha nas costas e me congratular. Disse aos meus pais todo contente do primeiro milhar feito num torneio em que apenas tinha investido 10 dólares. Não abrimos nenhuma garrafa de champanhe nem o quarto estava cheio de balões. O que se seguiu foi uma longa discussão sobre os perigos de jogar jogos de azar.

Eu sei de uma organização que está a tentar com que o poker seja reconhecido como um desporto olímpico. Pessoalmente não concordo com a ideia, mas percebo porque querem isso. Uma das coisas mais frustrantes é quando alguém que não joga poker não o reconheça como um jogo de perícia. Não acho que o poker deve ser reconhecido como um desporto olímpico (da mesma maneira que acho que o xadrez também não deve ser) mas seria benéfico se fosse, porque assim as pessoas teriam que reconhecer a perícia do jogo.

Existem várias razões para que as pessoas que não saibam jogar fiquem iludidas quanto à perícia no jogo. Aqui ficam algumas sugestões porque:

Televisão

5 card draw é o jogo de escolha dos produtores de televisão, porque uma mão de poker é composta por 5 cartas, e é a maneira mais fácil de comentar. Em todos os outros tipos de poker existem cartas expostas e outras escondidas, padrões de apostas, posição, e todo o tipo de critérios para indicar a força da mão do adversário. Em 5 card draw não existe nenhum indicador a não ser a fé do que pensamos que ele tenha. Por isso é difícil atribuir talento ao vencedor, ele teve apenas sorte.

Outra coisa que não ajuda é a regra caseira de que "tens que ter tanto dinheiro como eu para ver as minhas cartas". Esta é normalmente onde alguém pede dinheiro emprestado ou aposta a casa para fazer call a uma aposta. Esta regra é ridícula, senão quem ganhasse a primeira mão das WSOP seria o campeão. Isto é apenas usado para mostrar desespero e nos ensinar uma lição sobre jogos de azar.

A imagem de cowboys e cartas com truques é também muito explorada, o que faz com que o poker pareça um jogo em que qualquer um pode ser enganado. Sem falar em mãos ridículas que nunca acontecem, tipo quatro cartas iguais contra outras quatro cartas iguais, até o novo filme do James Bond que passa uma imagem respeitável do poker acaba com um straight flush a ganhar a um full house.

A TV dá ênfase às partes negativas, negando tudo o que é de complexo do jogo.

Casinos

Até a "arena" do jogo não ajuda, porque é associada a um lugar onde as pessoas perdem dinheiro. A maioria das pessoas já jogou um pouco de roulette ou blackjack, e a maioria das pessoas saiu com os bolsos mais vazios do que entrou. O problema é que quando alguém que não joga poker, mistura poker e casino, seguem a velha máxima de que "a casa ganha sempre", mas neste caso a casa não está envolvida.

Final Tables Televisionadas

O verdadeiro poker transmitido na TV fez maravilhas pelo jogo e pela percepção das pessoas em relação ao poker, mas as blinds altas e os all-ins das mesas finais faz com que pareça menos perícia e mais sorte. Quando chegamos à Final Table as blinds estão tão altas que até certo ponto as cartas jogam sozinhas. Pares vs AK acabam normalmente em all-in antes do flop e resta-nos uma "moeda ao ar". O telespectador que não perceba, pode pensar que todo o torneio foi jogado desta forma e que o vencedor é o vencedor do mundo das moedas ao ar. Não vêm os dias de jogadas, jogando draws, largando mãos enormes, estabelecer uma imagem na mesa, jogar na altura que rebenta o bubble, etc, etc. Uma salvação foi a recente popularidade do programa "High Stakes Poker" que mostra poker real a ser jogado com "deep stacks" (muitas fichas).

Estas são algumas das razões porque as pessoas da sua vida podem não apoiam a sua "mania" de jogar às cartas. Amanhã vou mostrar-vos maneiras de fazer com que o poker seja muito mais aceitável para aqueles que não o percebem.

Nota Ed: Faça o download da FULLTILT POKER e vá jogar as WSOP de borla, ao participar nos nossos Freerolls Especiais PokerNews!

Mais notícias

O que pensas?