Será o poker um desporto? – Parte 2

Será o poker um desporto? – Parte 2 0001

Eu queria que este artigo fosse uma argumentação objectiva e imparcial a favor e contra a questão em análise. Queria que ficasse aberta a discussão, e que os que não acham que se trata de um desporto ficassem na dúvida e repensassem a questão. Tudo num artigo que fosse tão bonito de ler como seria de escrever.

Mas infelizmente isso já não pode acontecer, em vez de fazer um artigo bem estruturado e bom de ler, vou ter que fazer uma afirmação arrojada, pessoal e muito agressiva:

POKER È UM DESPORTO!

Esta manhã até eu não acreditava, mas esta tarde vi as notícias devastadoras do caso de tribunal do Gutshot, e agora tenho que acreditar. A decisão do juiz e júri é de que o poker é um jogo de pura sorte, eles aceitaram que existe um elemento de perícia mas para os media numa semana de poucas notícias, é muito provável que ataquem este nosso nobre jogo.

Primeiro tivemos a situação do jogo on-line nos Estados Unidos, e agora temos este grande caso nos nossos tribunais. Por maior que se esteja a tornar, e apesar dos patrocínios e da cobertura televisiva, poker está numa situação muito vulnerável. Temos que defender os nossos direitos como jogadores de poker, e mesmo que não concordemos com a ideia de que o poker é um desporto, talvez será boa ideia começarmos a pensar nestes termos; para que fique clara a ideia de que a perícia é realmente mais importante do que a sorte.

Quando estamos a ganhar, esquecemos completamente a sorte no jogo; julgamos ser apenas pelas boas leituras de jogo, estratégia e boas decisões. Quando estamos a perder, já nos lembramos da sorte no jogo, e que podemos fazer tudo bem e ainda perder por azar, maus rivers e a estupidez dos nossos adversários.

Se o poker é um desporto, então deverá ser o único em que o participante que perde pode culpar a derrota pela falta de jeito do adversário. Nenhum pugilista pode chamar de amador o seu adversário se este acabou por te mandar ao tapete, e nenhum treinador pode acusar a outra equipa de ser estúpida por ter chutado bem à baliza.

Isto não quer dizer que o poker é o desporto mais injusto. Pugilismo é um dos desportos mais cruéis onde um pugilista pode fazer tudo bem e ainda assim perder, não por um soco no fim da luta mas por causa de um painel de júris incompetente que podem dar a vitória ao homem errado. Se não seguem pugilismo, deixem-me que vos diga, isto acontece muito, aliás demasiadas vezes e esta é uma das razoes pela qual o pugilismo já não é tão popular como era até meados dos anos 90.

Futebol é outro desporto em que muitas vezes a melhor equipa fica em segundo lugar. Um amigo meu falhou a final da taça da Inglaterra porque o juiz de linha anulou um golo em que a bola passou claramente a linha.

Qualquer desporto tem um elemento que os participantes não controlam, e muitas vezes irá surpreende-los e deixá-los de rastos, no poker isto acontece muitas vezes e saber lidar com o desapontamento e adversidades é um requerimento de um bom jogador de poker. Triunfar várias vezes apesar do elemento de sorte prova o elemento de perícia no poker. Johnny Chan, Doyle Brunson e Phil Hellmuth não ganharam 10 braceletes das WSOP pela maneira que as cartas foram baralhadas, fizeram-no independentemente da maneira que as cartas foram baralhadas.

Agora que já disse o que penso, espero que para a próxima vez possa olhar para o poker como adepto do desporto.

Nota Ed: Seja um profissional por uma ano com a PACIFIC POKER.

Mais notícias

O que pensas?