Psiquiatra do Poker – Volume 5 – Respostas ao Medo

Psiquiatra do Poker – Volume 5 – Respostas ao Medo 0001

Quero desde já agradecer aos vários leitores que me enviaram cartas acerca do artigo da semana passada sobre "Ansiedade e Medo". Parece que aparentemente exagerei no medo para alguns jogadores. Medo e ansiedade são ocorrências reais quando jogamos poker, e esta semana debruçar-me-ei nos efeitos primários que estes estados psicológicos exercem aquando da sua presença nas mesas de poker.

Não vale de nada a minha própria relutância em chamar ansiedade durante um jogo de poker, ao medo pessoal que cultivo quando estou a jogar. Não tenho medo nas mesas, não sinto o coração a bater mais forte quando faço um bluff. Mas isto é um comportamento aprendido. Lembro-me da primeira vez que ganhei um pot com mais de 100,000 fichas num autêntico bluff; pensava que o meu coração sairia da minha boca, saltava para as mãos do meu oponente e dizia "Bluff! Bluff! Bluff!"

Agora, passados estes anos todos, e com uma boa dose de treino psicológico, poderia considerar o meu comportamento como desinteresse ou mesmo dorminhoco quando estou nas mesas, mas isto serve-me muito bem. O meu coração apenas bate mais forte quando vejo uma cabeça vermelha entrar na sala de poker. Como primeiro passo para gerir o seu medo na mesa, tem de notar as suas próprias reacções ao medo, à ansiedade e às empregadas de balcão, e saber controlá-las para poder usá-las a seu favor.

Vejamos algumas reacções físicas e psicológicas em relação ao medo e ansiedade. O aumento do batimento do coração é uma reacção física comum ao stress, medo, felicidade, muito barulho, ver a sua equipa de TV, ou encontrar-se com a pessoa amada no aeroporto. O aumento dos batimentos do coração fornece mais oxigénio ao cérebro e a outros órgãos, e prepara-o para alguma eventualidade; luta, voo ou sequência de cor.

Já todos ouvimos falar das respostas aos estímulos "Fight or Flight", que nos ligam aos tempos em que vivíamos em cavernas. Não existe razão para ligar o aumento do ritmo de batimento do coração com os tempos das cavernas. Todos necessitamos de oxigénio como o Fred Flintstone. A chave na mesa de poker é saber se tem estas reacções apenas quando faz um bluff ou quando tem uma excelente mão. Se só lhe acontece numa ou noutra situação, tem de fazer qualquer coisa para o evitar. Se o seu coração bate mais forte sempre que faz ou bluff ou quando tem uma boa mão, não se preocupe. Só tem de se preocupar se o seu coração bater mais forte numa situação específica, dando assim a possibilidade aos seus adversários de saberem os seus tiques quando se depara com uma determinada situação.

Os batimentos do coração registam-se de muitas formas físicas e psicológicas. As mais notáveis são as veias que se salientam na sua testa. Seguida pelo aumento da respiração, movimentos rápidos dos olhos e/ou dilatação das pupilas. Depois, a tenção produzida pelo medo ou ansiedade pode causar movimentos nervosos, muitas vezes através das mãos, ou fatiga muscular. O aumento da circulação faz-nos "acordar" um pouco e depois queremos mover ou andar, temos mãos nervosas. Se sabe que irá fazer fold a um bluff quando apanhar um reraise ou que irá all-inn com uma boa mão, então poderá parecer calmo – até calmo de mais, o que também poderá ser um sinal.

O primeiro passo é saber o que fazer sobre pressão quando se está a jogar. Preste atenção às suas próprias reacções quando estiver a jogar. Na próxima semana iremos falar nas expressões corporais mais comuns que são produzidas pelo stress, ansiedade e medo.

Nota Ed: Se mostra o seu medo quando está sentado numa mesa de poker – a solução é simples. Jogue online na MANSION POKER.

Mais notícias

O que pensas?