Agora ao vivo Unibet Open Bucharest

Psiquiatra do Poker – Volume 4 – Ansiedade e Medo

Psiquiatra do Poker – Volume 4 – Ansiedade e Medo 0001

Na noite passada ouvi um gemido vindo da cozinha, fui lá ver o que se passava e vi o gato a brincar com um rato. Apanhei o rato com uma toalha e libertei-o na rua.

Um pouco mais tarde, a minha cara metade disse-me: "Não acredito que tenho medo de ratos."

Bem, na verdade ela nunca teve. Só se tem medo quando andamos na guerra ou quando após uma curva se vê um grande camião em contra-mão. Tinha uma certa ansiedade ao ver um rato na boca do gato.

Mas quantas vezes já ouviu: "eu tive medo da sua enorme banca" ou "tive medo da possibilidade de flush." É óbvio que nunca sentimos um verdadeiro medo nas mesas de poker. Falamos de sentimentos e emoções fortes, que nos poderão afectar o nosso jogo, quando falamos de ansiedade, trepidação, agonia, apreensão, consternação, stress, dúvida, suspeição, timidez, preocupação.

O medo é um sentimento de risco e perigo, quer seja um risco real ou um perigo imaginário. O medo também pode ser descrito como um sentimento de extremos em relação a certas condições, objectos, pessoas, ou situações: medo das alturas, medo de cobras, medo de ter apenas uma out no river, etc.

Para vocês que estão preparados para dizer: "nunca tenho medo numa mesa de poker", Imaginem a seguinte situação: depois de um flop, você faz uma aposta de um montante razoável a tentar um semi-bluff. Você ainda não tenha nenhuma mão, mas tem muitas outs. Mal as suas fichas tocam na mesa, o jogador à sua esquerda anuncia all-in.

Sente a sensação? Diga lá… sente?

Chame-lhe o que quiser, acontece na mesa e deverá estar preparado para lidar com essa situação, porque esse sentimento poderá ajudar o seu jogo, ou custar-lhe todas as suas fichas. Chame-lhe o que quiser, apenas não tenha medo de usá-lo para ganhar.

Os humanos são animais e aprendemos a ter medo, aprendemos a estar ansiosos em certas situações quando confrontados com certos estímulos ou eventos. Você está com KK na mão, e no flop vem um A. O que teme? O A, como é óbvio. Mas se não apostar, sabe que se o outro o fizer, só estará a confirmar que realmente tem o A. E não irá um bom jogador apostar num flop com A quando ver que você fez Check-fold a essa aposta? Substitua esse medo do A por outro mais rentável: temo que ninguém faça call ao meu raise pré-flop e só ganharei as blinds com KK.

Medo do sucesso ou de falhar, também entram em jogo na mesa de poker. Medo de falhar, inclui dúvidas sobre as consequências do seu sucesso. Você quer evidências que ninguém quer ganhar.

Jamie Gold, Campeão das 2006 World Series of Poker No limit Hold'Em, disse-nos que nos últimos dias do torneio estava estarrecido por poder ganhar – não pelos 12 milhões de dólares, mas por temer a fama que a vitória lhe pudesse trazer. Numa entrevista à ESPN.com, Jamie Gold explicou a ideia de passar a ser uma celebridade em pouco tempo o assustava, que até pensou em perder as suas fichas de propósito para poder terminar o torneio na 2ª posição.

"Não o quero, já vi o que aconteceu a outras pessoas." Disse Jamie.

Digam o que quiserem do Sr. Gold. Medo do sucesso e medo de falhar e ultrapassar a caça do medo em todas as mesas em todas as salas de poker do planeta. Acredite em mim; tenho mesmo medo que seja verdade.

Escreverei mais acerca do medo e ansiedade no meu próximo artigo, quando lidarmos em como é que o medo poderá dar informações aos nossos adversários.

Nota Ed: Aja como se não tivesse medo de nada quando estiver a jogar na MANSION POKER

Mais notícias

O que pensas?