Estrelas Imergentes: Entrevista com Jeff Kimber – 3ª Parte

Estrelas Imergentes: Entrevista com Jeff Kimber – 3ª Parte 0001

PN: Como foi a sua experiência no WPT? Quais os pontos altos de ter passado por um grupo de jogadores d elevada qualidade?

JK: Como era um evento com um rebuçado de $5,000 por cada "nome" que eliminasse, sabia que ia dar de caras com uma estrela, porque em cada mesa encontrávamos uma. Reconheci o Kenna James quando ele se sentou, e foi muito educado, auto apresentando-se e gostando do facto de ter um inglês à sua esquerda fazendo raise às suas blinds. Quando a Isabelle Mercier se sentou na minha mesa, pensei que poderia ser difícil, e de repente o TJ Clouter virou-se para o jogador à minha direita, que ainda não sei quem foi, e disse-lhe "como é possível não seres um bounty nesta mesa? Devias ser, Homem" e pensei que tinham-me cortado o meu trabalho.

Contudo, aumentei alguns níveis e cheguei a ter à volta de 14,000 fichas desde o princípio com 10,000, e ai fiz reraise a um jogador com poucas fichas para tentar isolá-lo com o meu AK do mesmo naipe. Chegou a vez da Isabelle Mercier que fez novo raise. Pensei durante três minutos antes de chegar à conclusão que era ainda cedo para me meter num grande pot apenas com o A como carta mais alta, e fazer fold. Quando ela virou os seus AA para eliminar o jogador com poucas fichas, fiquei satisfeitíssimo com a minha escolha e ganhei confiança. O Kenna perguntou-me o que tinha e na altura pensei que não haveria mal nenhum em dizer-lhe a verdade, ao qual ele respondeu "bom pass". Umas voltas mais tarde fiz raise à blind do Kenna com AK e ele fez-me reraise… agora dou comigo a pensar que ele pensa que eu estou sólido como uma rocha, ou intimidado com os nomes das estrelas, por isso fiz-lhe reraise. Ele vai allinn, o que me preocupou ligeiramente, mas não podia passar dado o número de fichas que já tinham metido no pot, ao que ele respondeu "oxalá tenhas um par de Valetes". As suas cartas, AQ, não melhoraram (embora o flop tenha sido 9 10 J!) e lá recebi o meu primeiro bounty, $5,000, uma t-shirt autografada, uma pose para as câmaras com o Kenna e com a liderança em fichas na minha mesa.

Usei bem as fichas e ia bem até que a nossa mesa se separou. Junto com outro jogador da minha mesa, fui ter a uma mesa que estava logo após outra ao lado da do John Gale. Por esta altura apenas tinha tido contacto com o John uma ou duas vezes através de amigos comuns, mas uqndo um vencedor do WPT vos cumprimenta com um "Olá Jeff companheiro, não sabia que também estavas a jogar este torneio, como é que estás?", sabe mesmo muito bem, e ganhamos um respeito instantâneo do resto dos jogadores da mesa que agora pensam que estão na presença, não de um mas, de dois tão bons quanto o John, que é uma grande estrela nos EUA. Também reparei que o jogador da minha mesa, que obviamente pensou que eu era um qualificado da Internet, agora apercebendo-se de que isto provavelmente não seria o meu primeiro torneio, uma vez que eu e o John sentamo-nos a conversar. À medida que o torneio avançava e os jogadores iam caindo rapidamente, o John de entre um deles, foi contra um mão jogador fazendo reraise com as suas QQ versus A10 e conseguido um str8 depois de sair uma Q como carta mais alta no flop (eu vinguei-me do John no dia seguinte, recordando-me desta má jogada e fazendo com que este mesmo jogador me fizesse reraise ao meu flop de trios com o seu A5).

Eliminei o Professional Americano David Plastik, ligando dois pares com os meus suited connectors e o seu par mais alto, e a mesa separou-se. Ai fui para a minha mesa favorita, onde se encontrava o Layne Flack dois lugares à minha esquerda, o Patrik Antonius à minha direita e também lá estava o Steve Zlotow e o Marcus Traniello. Foi fantástico poder jogar com o Layne, muito amistoso, muito brincalhão e sempre disposto a uma boa risada mas também com vontade de ganhar. Mesmo antes de um intervalo fiz-lhe reraise com um par de 88 porque ele até ai estava quase sempre a fazer raise a todas as jogadas, mas ele colocou-me allinn. Não podia fazer call, mas olhei para ele fixamente antes de fazer fold. Durante o intervalo fui apanhar ar e o Layne Flack veio atrás de mim para falar acerca daquela mão! Foiirreal. Ele disse-me que pensava que eu tinha um grande A, eu disse que pensava que ele tinha um par médio mas provavelmente maior que o meu. Ele disse-me que tinha QQ e arrependeu-se de as jogar tão rapidamente assim que lhe disse que tinha 88! Ele sabia que eu estava a tentar travar aqueles raises constantes, e enquanto a mim custou algumas fichas, penso que o deixou a pensar duas vezes antes de me atentar….ali estavam alvos fáceis para ele.

Sentado entre o Patrik e o Layne não teve piada em termos de fichas, mas tinha o suficiente para não correr riscos e reavaliar o segundo dia. Encontrei o David Williams mais tarde durante o torneio, e descobri-o como sendo um excelente jogador, tivemos alguns encontros onde ele pareceu ter tomado quase sempre as decisões correctas. Rob Mizrachi, o irmão mais novo do Mike, que é um dos meus jogadores favoritos par ver, parecia ter as qualidades do seu parente, mas as luzes da ribalta estavam viradas para o Chip Reese durante algumas horas, especialmente depois de ter lido o livro "The Man Behind the Shades", que é a história da vida do Stu Ungar onde o Chip tem um grande papel. Outra vez um gentleman para se jogar com, mas um exímio jogador, ainda pensei em anotar num livro o que estava a aprender com estes jogadores para poder usar mais tarde!

No terceiro dia eliminei o Dan Harrington, de que muito me orgulho. Depois do pequeno-almoço pedi-lhe para assinar o seu livro "Harrington om Hold'Em", e embora não tenha jogado com ele, sabia que eu era o Inglês ainda em jogo. Acho-o um grande jogador, mas estava contente não só por o ter eliminado, mas por o ter eliminado jogando poker, não encontrando uma mão maior que a dele e atirando as fichas todas allinn no preflop. Tinha acabado de me sentar a seu lado e feito raise prelfop, apostando quando eu falhei o flop e foldando a um raise. Momentos depois eu acertei no flop e fiz check-raise a um jogador. Sei que o Don toma atenção a todos estes pequenos pormenores, por isso decidi misturar o meu tipo de jogo caso jogasse uma mão com ele. Na minha Bing Blind seguinte ele foi under the gun e fiz check com KQ. O flop veio com KJ2, dando-me o par mais alto, que fiz check. O Dan apostou o pot, eu pensei e fiz call. 9 no turn dando a ambos um str8 draw, eu check, o Dan apostou metade das suas fichas, eu ponho-o allinn e o river não ajuda nenhum.

PN: Pensas que conseguirias ter ido à mesa final e ter uma aparição na TV, ou o 9º lugar foi o melhor que alguma vez podeste imaginar?

JK: Tenho muito orgulho em ter ido tão longe, mas uma vez nessa posição e tão perto da mesa da TV, é difícil não pensar no que poderia ter sido. Estava em 5º entre 9 quando um jogador local fez raise à minha blind. Olhei para 88, uma boa mão quando somos apenas 5, e eu fiz-lhe um reraise, porque pensei que ele estaria fraco. Ele foi allinn mas sem convicção, e eu estou certo de que ele estaria a jogar A com qualquer outra carta. Agora estou perante uma situação em que tenho de apostar 2/3 das minhas fichas (no total) numa moeda ao ar, mas tenho a certeza que estou À frente e com 2 para 1, por isso decidi fazer call. Estou certo pois ele mostra um A9 off e parece enjoado. E depois o dealer estraga tudo ao colocar dois AA no flop! Umas mãos mais tarde ainda com uma stake jogável, fiz raise 4 vezes a big blind com JJ. O mesmo jogador fez call desde o button. O flop mostra o 7 como carta mais alta com duas copas, por isso fui allinn sendo o primeiro a falar para um flush com Q6 de copas. Não é uma mão que fizesse antes ou depois do flop dadas as odds, mas ele sentou-se com sorte e realmente estava, uma Q no turn e uma copa no river. Eu sei que se as coisas estivessem voltadas para mim nessa jogadas, eu teria uma hipótese no rpiemiro prémio superior a $1.000.000, mas isto é poker, penso eu. Perguntei so Conor Tate, um amigo meu que foi o Britânico melhor classificado no WSOP do ano passado, se ele pensa ter sido aquela a sua grande oportunidade e que nunca antes tinha chegado tão perto, tal como penso na minha 1ª experiência no WPT, mas ele é um jogador sensível ral como é um grande jogador de poker, e reconhece que tínhamos a vantagem distinta sobre a maioria dos nossos adversários e sabendo o que é preciso para lá chegar, o que esperar quando lá se chega e como jogar a próxima vez!

PN: Está pensando ir ao WSOP deste ano? Se sim, quais os torneios em que vai participar?

JK: Qualifiquei-me pela Ladbrokes na 1ª tentativa, e é um grande pacote, começando num torneio de aquecimento de $1,500, o torneio principal, e um torneio de consolação de $1,500 se não chegar à 2ª semana do Big One. Por isso estou pensando jogar apenas os dois! Gostaria de jogar mais mas ainda estou a trabalhar neste momento e não posso ir durante um mês como gostaria. Talvez para o próximo ano…

PN: Finalmente, Jeff, em que estás mais ligado em relação ao poker e quais os teus objectivos?

JK: Neste momento os meus objectivos é levar o ano tal como está a decorrer. Estive a uma carta e ganhar um lugar no torneio WPT do Bellagio $25,000, o meu AK a perder para um AJ com um J no river, outra vez site do WPT. Quero mesmo voltar aos EUA para poder jogar mais alguns eventos do WPT; a estrutura, a organização e os cenários são excelentes e permite jogar poker a todo o tempo. Obviamente que estarei a jogar a minha primeira World Séries no próximo mês, a minha primeira ambição é chegar ao 2º dia, a depois chegar ao dinheiro, e depois quem sabe?! Sinto que tenho o jogo necessário para ir muito além em qualquer torneio, mas é uma questão de poder prová-lo. Se conseguir fazer isso as ofertas dos patrocínios serão um óptima forma de fazer a minha vida, mas neste momento é uma questão de não correr antes de poder andar. É claro que poderia deixar de trabalhar agora e jogar a tempo inteiro, mas acho que ainda tenho muito a aprender e estou ansioso por ser um jogador ainda melhor todas as vezes que me sentar numa mesa. Já evolui imenso este ano e se continuar assim, quem sabe.

PN: Jeff, mais uma vez obrigado por falar para a UK Poker News. Desejamos-lhe todo o sucesso possível no poker?

JK: Muito obrigado e parabéns pelo vosso excelente site.

Os melhores torneios estão aqui. Faça o download da POKER STARS

Mais notícias

O que pensas?