Estratégia Poker Stud: Movimentos 'Tricky', Parte 1

Estratégia Poker Stud: Movimentos 'Tricky', Parte 1 0001

Na maioria das vezes, contra o jogador típico de stud, fazemos dinheiro jogando ABC poker. Vamos fazer dinheiro com os erros do adversário, erros que ele comete por não ser um bom jogador. Aposte agressivamente quando está na frente, faça fold quando está muito atrás e vá atrás com as odds correctas. È assim que se ganha a maior parte do lucro.

Mas por vezes temos de ser 'tricky'. Este artigo e os artigos seguintes foram feitos para que consiga enganar os jogadores que o observam. Já falei sobre bluffs e semi-bluffs em colunas anteriores, por isso não vou abordar esse assunto aqui. Em vez disso, vou falar sobre "raising on the come", re-raise para eliminar o terceiro jogador, comprando uma carta gratuitamente, e manipulando o tamanho do pot, ambas de forma a tornar os draws mais correctos para nós e menos para o nosso adversário.

RAISING ON THE COME

Esta é uma arma comum no arsenal de muitos jogadores de stud. É na realidade usada em demasia por muitos. Vejamos como funciona. Estamos na 3ª street e temos 3 para flush. A carta escondida é um A. Ao contrário de fazer call - - assumindo que as suas cartas para flush estão vivas, o nosso melhor movimento não é fold - - é Raise. Isto disfarça a nossa mão, já que, a maioria dos jogadores vai assumir que temos um par alto, e não 3 cartas para flush. Se fizermos um par com a carta escondida na 4ª street o mais certo é ganharmos o pote. Se recebermos uma carta para flush na 4ª street e depois outra carta para flush na 5ª street ou 6ª street, o nosso adversário terá mais dificuldades em acreditar que efectivamente temos flush.

O problema deste movimento, é que alguns jogadores mais experientes o conhecem bem. Podem no entanto dar-nos crédito pelo nosso flush, se 3 cartas suited estiverem expostas. Podem não acreditar que temos um par alto, e podem fazer re-raise na 4ª street com 2 cartas suited expostas. Mesmo assim, vai sempre ser útil porque vai ajudar-nos a disfarçar a verdadeira força da nossa mão quando temos um par alto. Eles não vão saber se o raise significa que temos um par alto ou um draw.

Fazer raise não está limitada á 3ª street. Alguns jogadores fazem raise na 4ª quando as duas primeiras cartas são suited. Se na 5ª street receberem mais uma carta suited, os adversários dão-lhes crédito pelo flush. E se não lhes dão crédito, sabendo que são capazes de fazer aquela jogada com projectos – com apenas 4 de 5 cartas suited para flush – então sempre que completam o flush vão ser pagos.

CONSEGUIR UMA CARTA GRATUITA

Este é um raise concebido para representar uma mão forte, para induzir um check de forma a conseguir ver outra carta sem pagar por ela quando não conseguimos melhorar a nossa mão. Vejamos como funciona. É uma jogada tipicamente feita na 4ª street quando não temos a melhor mão exposta. Vamos imaginar que temos ({3-Clubs}{q-Clubs}){3-Hearts}{k-Clubs}. Há um jogador que mostra um A na nossa frente. Ele fez call á nossa aposta "bring-in" na 3ª street e agora está a apostar. Temos 3 cartas para flush e um par de ternos com um K kicker. Fazemos raise. Fazemos isto não como um bluff. Assumindo que ele faz call – por isso não esperamos ganhar o pote como resultado da nossa aposta. O que procuramos aqui é que ele faça check na 5ª street, que é quando ele pode apostar o dobro. Ele faz check porque o nosso raise indica que podemos bater o par de Ases dele. Ele será cauteloso e não apostará outra vez a não ser que tenha melhorado a mão. Se ele apostar e não tivermos melhorado a mão, podemos fazer fold. Por outro lado, o mais provável é que faça check. Podemos então fazer check também e ver uma carta gratuitamente. O raise salva-nos de metade de uma aposta do que nos iria custar ver uma carta na 6ª street.

Este movimento tem os seus riscos, obviamente. Ele pode não acreditar em nós, e pode fazer re-raise na 4ª street. O que fazer aí? Provavelmente vamos fazer call com a nossa mão e esperar uma carta milagrosa que nos coloque na frente daquilo que acreditamos que o nosso adversário tenha, neste caso, um par de Ases. Claro que ele pode estar a fazer raise por não acreditar que tenha mais do que um par pequeno ou 3 para flush. E quando a 5ª street não melhora a nossa mão e ele aposta, temos que foldar. Neste caso o movimento custou-nos uma aposta e meia, já que o melhor movimento teria sido fold. Por isso, ser 'tricky' tem os seus riscos. No entanto, na maioria das vezes o raise vai convencer o adversário que estamos fortes o suficiente para que ele faça check na street seguinte.

Teste estes e outros movimentos na Tony G Poker, e receba $30 GRÁTIS!.

Mais notícias

O que pensas?