Estratégia para Jogar Sets e Overpairs

Estratégia para Jogar Sets e Overpairs 0001

"Acertou outra vez um set, e eu com ases na mão"

Decidi começar este artigo com uma frase tantas vezes ouvida. Se calhar não tão ouvida como: "Outra vez … KK vs AA!". Estas frases demonstram a sensação de impotência perante as situações vividas. É precisamente nestas situações que podemos fazer a diferença e tornarmo-nos jogadores vencedores. Se for capaz de foldar ases quando o seu adversário acerta um set, e o seu adversário não o consegue na situação inversa, os seus lucros subirão drasticamente. Estes são os momentos chave no seu jogo.

Todos sabem qual é o sentimento quando fazemos call e vemos o set do adversário. "Donk do cara…tem mesmo um set!" Soa familiar? Continuo a encontrar situações destas diariamente. O mais engraçado é que na maior parte das vezes você sabe o que vai acontecer. Poderá perguntar: " Porque é que fiz call?" Uma razão para fazer o call, é que muitos jogadores adoptam uma regra de anti-fold ases. Outra razão, estúpida, é provar que está numa má run . "Queres ver que ele tem um set?" e fazem o call. Assim que os adversários viram as cartas dizem: "Viste, eu disse!" Eu próprio já disse muitas vezes estas frases. Os jogadores nem olham para o pote, apenas vêm que perderam com ases. É completamente secundário como foi perdido o pote. Deixe de parte o tilt e pense um pouco sobre estes potes. Oiça o seu feeling, na maior parte das vezes você estará certo.

O problema de jogar overpairs é que normalmente você ganha potes pequenos e perde os potes grandes. É difícil jogar para a stack em board complicadas como JT47Q quando se tem AA. Um conselho que posso dar é: mantenham-se calmos enquanto jogam AA. Não precisa descontrolar o pote, embora esteja a jogar No Limit não quer dizer que não tenhamos de ter controlo sobre o mesmo. Vamos supor que você raisou pré-flop com AA, o flop foi J62 e a sua c-bet foi called pelo adversário. O turn é um K e você não tem um bom pressentimento ao vê-lo. Não é preciso ter vergonha por fazer check behind para ver o que traz o river. Se o adversário checkar, então poderá fazer uma value bet. Se ele apostar, terá de se basear na sua leitura. O problema de checkar o turn é que dessa forma enfrentará uma aposta quase certa no river. Mas isso será uma desvantagem?

Senão raisar o turn, muitos jogadores pensarão que o seu Jx está à frente e farão uma value bet no river. Senão o fizerem poderão fazer call a uma value bet feita por si. Fazendo pot control ganhará muito mais contra mãos mais fracas. Se por acaso o adversário tiver um set, você poderá fazer apenas call e minimizar perdas. Jogando a sua mão desta forma, terá o "melhor de dois mundos" qualquer que seja a situação. Não soa muito mal pois não? Desta forma não terá de ir all in sempre que tenha um overpair. Aproveite os spots certos para fazer estes movimentos.

Analise bem a textura da board. Um flop 2 K 6 rainbow é perfeito quando você tem ases, enquanto que um flop 567 com 2 ouros é muito perigoso quando tem um overpair. Com um flop como este último poderei fazer check/fold aos meus ases. Por exemplo, 4 jogadores fazem call ao seu raise UTG pré-flop e o flop é algo do género deste, imagine que a BB aposta, você ainda terá 3 jogadores para falarem depois de si. Numa situação destas eu foldo claramente. Quantas vezes já fez call e o jogador logo a seguir fez raise e outro jogador foi all in por cima? Esta board é de evitar quando temos apenas um par na mão. Veja bem o flop, quantos jogadores estão no pote e como está a decorrer a acção. Imagine o flop K 6 2 , você tem AA mas agora estamos numa mesa 9-max e somos called por 4 jogadores. Está a jogar NL $2/$4 e aposta $80 num pote $106. Todos os intervenientes na mão têm pele menos $400 e o jogador a seguir a si aposta $200. Agora está numa situação ainda pior. O que precisa de compreender é que este jogador não está a raisar apenas o pré-flop raiser, mas está também a raisar outros 3 callers. Estas situações cheiram a set por todos os poros. Aprenda a observar este tipo de coisas, não olhe apenas para a sua mão e para a board. Até os jogadores que foldam estão a dar-lhe informação. Veja a sua posição, quem fez call, que aspecto tem a board e como está a correr a acção. Continue a raisar forte pré-flop sempre que tiver pares altos, não faça limp para atrair pessoas para o pote apenas porque a sua mão é forte. Se raisar forte é mais fácil saber o range com que lhe fazem call.

Em todos os exemplos assumimos que existe uma 2-bet pré-flop e alguns callers. Faça raise e mande na acção no flop. Mas e o raise pré-flop? Se existir um re-raise pré-flop eu nunca mais foldarei o meu overpair. O importante aqui é que o seu re-raise seja forte. Com uma par de mão alto o meu re-raise será sempre 3,5 vezes maior que o raise do meu adversário. Se estiver numa mesa de $2/$4 e fizer re-raise de $16 para $56 num vou largar os meus reis num flop T56. Devido à acção pré-flop, o seu range ficou tão curto que é –EV foldar nestas situações. Potes que sejam re-raisados pré-flop ficam quase sempre decididos aí. Tenho quase a certeza que não tenciono foldar a minha mão. Se tiver KK ou QQ e o flop for qualquer coisa do tipo Axx, o caso já muda de figura. Neste caso temos de ter calma, e se os adversários estiverem a ser agressivos, teremos de foldar a nossa mão. Não é a tua mão, não é a tua board, procura um spot melhor.

Neste último parágrafo parece que me contradisse com o que disse no início do artigo sobre foldar overpairs. Neste último exemplo viu o flop com menos adversários e o seu range também é mais curto. Por isso a situação é mais segura e é menos provável que os seus adversários tenham um set.

O que tem de ter em conta nestas situações é que o seu adversário poderá ter um overpair maior que o seu. Quando por vezes decide fazer apenas call quando é re-raisado pré-flop, com AA, tem de pensar que os seus adversários podem fazer o mesmo. Alguns jogadores assustam-se quando os seus K's são re-raisados, é sobre todos estes pequenos detalhes que tem de pensar antes de tomar uma decisão. Agora estará de volta ao problema da value bet, neste caso é um pouco menos complicado visto que tem uma maior noção do range do seu adversário. Se raisar pré-flop estará em controlo do mesmo, assegure-se que continua em controlo da situação e não deixe de acreditar porque tem um overpair. Não precisa de arriscar tudo, já vimos que isso poderá não ser rentável. Oiça o seu instinto e não tenha vergonha de fazer muck aos seus ases. Lembre-se das vezes em que os adversários tinham mesmo um set e não se lamente. Aprenda a reconhecer padrões de apostas, as pessoas tendem a fazer as mesas jogadas sempre. Quando eu jogava $0.5/$1, fazia sempre mini-raise dos meus sets no turn. Encontrará padrões de jogo em todos os limites, analise-os e siga o seu instinto, não me canso de frisar este ponto!

Foldar pares de mão pré-flop é duro. Nem tanto QQ ou JJ, com estas mãos saberá quase sempre onde está. Com AA ou KK eu jogo sempre para a stack, e se for necessário faço-o pré-flop. Só foldo KK contra um adversário muito tight e se o meu instinto mo disser. Penso que foldar KK é um talento inato, é algo que não se pode aprender.

Espero que compreenda que estes artigos vão ficando mais complicados e vagos. A estratégia vai ficando cada vez mais detalhada e avançada. O que dificulta na busca da fórmula para o sucesso. A minha ideia também não é essa visto que a fórmula do sucesso apenas dura um determinado período de tempo. Se compreender bem o jogo, conseguirá fazer e refazer a fórmula do sucesso sempre que quiser. Caso contrário terá de ler um artigo destes de 6 em 6 meses. Espero que continue a gostar destes artigos e que continue a aprender algo com eles, pois para mim nem sempre é fácil escrever os meus pensamentos de maneira estruturada. Sei que o facto de basear as minhas explicações nos meus pensamentos e não em exemplos concretos também não facilita as coisas.

RaSZi.

Mais notícias

O que pensas?