Estratégia Sobre Stud – Lições das WSOP, Parte II

Estratégia Sobre Stud – Lições das WSOP, Parte II 0001

No meu último artigo anotei que apesar das minhas escassas odds para vencer um torneio das WSOP, decidi entrar no torneio de Stud8 de $1,000. Este artigo explicará como é que me preparei para esse torneio.

Um jogador profissional a tempo inteiro tem larga vantagem perante os outros jogadores que levam o poker como um passatempo, tal como eu faço. Mesmo que as nossas capacidades básicas de poker fossem idênticas, o profissional continuaria a ter uma vantagem no que concerne a dois importantes factores em torneios como este.

Em primeiro lugar, um profissional a tempo inteiro conheceria os outros profissionais que entrassem no torneio. Ele saberia das suas tendências de uma forma que eu nunca descortinaria. Ele saberia que o Bill X jogaria lentamente as melhores cartas preflop. Ele lembrar-se-ia que o Johnny D costumava fazer bluff check raise no river. Recordar-se-ia de mãos específicas que jogou e os seus resultados. E também teria muito tempo para reflectir no modo como os seus oponentes jogaram mãos valiosas no passado.

Eu não teria nada disto.

Mas uma vantagem ainda mais importante seria o seu estímulo.

Imagine o que significa para um jogador a part-time chegar a Las Vegas para disputar um torneio. Provavelmente teria tirado uma semana de férias, no máximo. Estará provavelmente a tentar maximizar o seu tempo em Las Vegas, inscrevendo-se no máximo de torneios possíveis, e até tentando visitar casinos de que já ouviu falar.

O turista não terá muito tempo para descansar. Ao fim e ao cabo, ele não veio a Las Vegas para dormir. Ele veio para ter uma experiência inesquecível que normalmente não consegue ter na sua terra. Ao contrário da cidade onde habita, aqui em Las Vegas ele poderá jogar poker 24 horas por dia. E ele não está num jogo onde possa jantar tardiamente ou ver um show ou tomar um copo num dos inúmeros bares existentes.

Pense no profissional. Ele não tem restrições de tempo. Se ele é de Las vegas ou da Califórnia, estaria em casa – fazendo o que sempre faz normalmente, ao seu ritmo natural, seguindo a sua rotina.

Ele não está deslumbrado com as luzes porque pode vê-as sempre que quiser. Também não se espanta com toda a acção à sua volta porque já lhe é familiar.

Mesmo que não seja de Las Vegas ou da Califórnia do Sul, já está habituado ao ritmo do circuito dos torneios. Está habituada a ficar 3 ou 4 semanas seguidas numa determinada cidade. Se calhar alugou uma casa ou um apartamento durante um mês inteiro. A sua vida não é abalada por um torneio – é gerida naturalmente à volta dos torneios.

Isto é uma enorme vantagem. Uma das linhas de orientação para um jogador de torneios é ter paciência. Outra é a concentração. Isto é especialmente verdade quando se trata de apostas altas ou torneios – uma vez que uma simples má jogada poderá colocar em risco todas as suas fichas. Não é como no ring, onde você após uma má decisão pode ainda recuperar as suas perdas. Num torneio, se distrair numa jogada, poderá ficar de fora do mesmo.

Felizmente existem algumas coisas que os jogadores de torneios visitantes podem fazer para poderem equilibrar as odds. Muitas são de senso comum.

Em primeiro lugar, não planeie em jogar muito. Se está numa cidade durante uma semana, concentre-se em 1 ou 2 torneios no máximo. É óbvio que se der bem no primeiro torneio poderá jogar outros, mas concentre-se na preparação para esse primeiro torneio.

Eu decidi-me por jogar o torneio de Stud8. Até ao início do torneio, não joguei stud high ou hold'em. Joguei Stud8 no Foxwoods e online. Foquei-me a 100 % nesses jogos. Não estou a sugerir que não devam jogar múltiplas variantes de poker – ou que não se consiga ganhar várias variantes de poker na mesma semana. Acontece várias vezes. Mas para o jogador em part-time, aconselho a que se concentre na variante em que vai jogar o torneio.

Aconselho a que reserve um quarto num hotel que não tenha casino. É natural que a tentação seja ficar onde está a decorrer a acção. Se for jogar as WSOP, deverá ficar no Rio, no Palms ou no Gold Coast. Se não, poderá ficar num dos muitos hotéis que têm casino e poker. Em primeiro lugar, poderá obter um preço de jogador de poker - o que lhe parecerá uma pechincha. Em segundo lugar, embora esteja aí para jogar um torneio, você quererá ficar perto de uma sala de poker para poder jogar ring. Só faz sentido.

Mas ao mesmo tempo pense no lado menos positivo. Se tiver poker no seu hotel – e especialmente se tiver de ganhar pontos para poder ter uma tarifa de quarto especial, estará tentado a ir à sala de poker para poder jogar. Isto afectará o seu sono. E afecta o seu relaxamento fora das mesas. Acredite quando lhe digo que isto afectará o seu jogo. O seu cérebro necessita de repouso entre as sessões. Precisa de sono e de estar "desligado". Ficar num hotel com poker é demasiada tentação para a maioria das pessoas.

De facto, era suposto ficar num hotel com poker, o Orleans. É um lugar admirável com tarifas de quarto muito baixas, quartos lindos, e uma sala de poker simpática onde se pode jogar limites baixos e médios 24 horas por dia. Já lá tinha ficado e desfrutei de todos as suas condições.

Mas desta vez decidi ficar nas Extended Day Suites no Valley View. Era apenas um passeio de 5 minutos até ao Rio, mas não tinha casino – e de certeza que também não tinha sala de poker. Quando lá chegava, já estava farto de poker por essa noite. Até tinha uma cozinha e uma sala de estar, onde podia comer e relaxar quando não estava a jogar.

Fique num quarto voltado para oeste se conseguir. Isto permitir-lhe-á dormir até tarde sem ser incomodado pelos raios de sol. Se for como eu, terá dificuldade em dormir, sabendo que existe sempre muita acção à sua volta. Não necessita de nenhuma ajuda da Mãe Natureza logo pela manhã.

Também sugiro que tome notas. Escreva os seus pensamentos e observações num caderno. Habitue-se a analisar como joga – não apenas o que ganhou ou perdeu. Noto que lembro-me melhor das sessões em que tomei notas do meu estilo de jogo, do que aquelas em que não o fiz. Se segue o golf, ténis ou ténis de mesa, notará que os profissionais executam os movimentos de prática depois de baterem na bola – especialmente depois de uma má jogada. Eles estão a fazer fisicamente o que você deveria estar a fazer mentalmente. Reforçar a maneira correcta de jogar.

Recomendo que tenha cuidado com a sua dieta – especialmente no dia anterior e na própria manhã do torneio. É tentador exagerar em Las Vegas. Existe muita variedade de boa comida a preços razoáveis – muitas vezes sem limite de quantidades do que se pode comer, nos vários buffets. Comer em demasia é um verdadeiro risco. Pode ficar letárgico, inactivo e pode interferir com o seu sono – que pode afectar a sua concentração, memória e habilidade de pensamentos.

Detestei menos desta vez em Las Vegas. Bebi muita água – que é realmente muito importante neste clima desértico – e só comi pequenas porções - pelo menos até ao términos do meu torneio. Não digo que deva ser um fanático pela comida, mas resista à comida rápida.

Também achei o exercício muito útil. Caminhava 45 minutos antes do pequeno-almoço. Considero que ficava com a mente mais apurada após o exercício, e também notava que ficava fisicamente bem durante o jogo. Normalmente levantava-me de 20 em 20 minutos para esticar as pernas, mas neste torneio conseguia estar uma hora seguida sem me levantar.

No meu próximo artigo escreverei mais acerca do jogo propriamente dito e das voltas inesperadas que me aconteceram durante o torneio.

Nota Ed: Não encontrará voltas inesperadas quando jogar na PARTY POKER.

Mais notícias

O que pensas?