Agora ao vivo Unibet Open Bucharest

Estratégia de Stud Poker: Altura de Desistir

Estratégia de Stud Poker: Altura de Desistir 0001

Quando é que é altura de desistir dum jogo de poker? Há muita discussão em torno dessa questão. Gostaria analisar esta questão.

Existem três formas de olhar para isto. Eu vou olhar para cada uma delas nesta coluna e avaliar os prós e contras. Acabarei com um breve olhar para o que as pessoas costumam fazer. Na próxima coluna irei dar a minha opinião sobre a melhor maneira de decidir de quando está na altura de desistir.

Método #1: Fica enquanto o jogo estiver bom.

Este método diz que só deves deixar o jogo quando este ficar mau – quando os jogadores na tua mesa são melhores ou tão bons como tu ou quando o jogo deixa de ser lucrativo. Este argumento diz que fiques enquanto estiveres a tirar lucro.

Há muito a recomendar por aqui – pelo menos em teoria. Já que poker é um jogo muito longo, queres maximizar o teu tempo no jogo enquanto está bom. Tu ganhas dinheiro explorando a vantagem que tens sobre os teus adversários. Enquanto tens uma vantagem, porquê parar?

No entanto, há um problema na aplicação deste método. Em primeiro lugar, não há maneira de teres a certeza que tens vantagem sobre os teus adversários. Como é que decides que o jogo está a correr mal e que deves deixá-lo? Apesar de nós, bons jogadores, gostarmos de nos orgulhar na nossa capacidade de julgar os adversários, a verdade é que ninguém vem com um sinal à volta do pescoço a dizer se é bom ou mau jogador.

O outro problema é que os jogadores não se classificam ao pé de outros jogadores de uma maneira constante ou linear. Seria fácil se cada jogador tivesse a classificação de um ranking como têm em golfe ou xadrez. O melhor jogador na mesa é um 1244; eu sou um 1400. Por isso devo ficar porque sou o melhor jogador da mesa. E compara isso com quando eu sou um 1400 e outros três jogadores na mesa são mais de 2000. Naturalmente devo sair do jogo.

Na verdade, os jogadores jogam melhor em certas alturas – e não se pode medir as suas capacidades. Um jogador é normalmente loose – mas depois de perder algumas mãos grandes durante algumas horas, ele geralmente joga tight e joga melhor. Também, Al joga sempre mais agressivo quando os seus dois amigos, Syd e Evereth estão em jogo. Syd está no jogo e Al joga um pouco melhor mas o Evereth já vai entrar. Evereth joga mais tight com Syd em jogo, mas o Syd torna-se num peixe quando os seus dois amigos estão a jogar. Está na altura de sair ou ficar?

O outro factor que precisa de ser considerado na matriz de interacção de jogadores acima descrita é como estás a jogar. Com algumas excepções, nós não jogamos com uma consistência exacta. Às vezes estamos no nosso melhor; outras não. Talvez o nosso jogo melhore contra alguns bons jogadores; talvez piore. Talvez pioremos quanto mais tempo ficarmos. Apesar de quando estarmos no nosso melhor sermos melhores do que os outros na mesa, já que já passaram 12 horas desde que começamos, talvez já não sejamos bons suficientes para batê-los consistentemente. Por isso estamos a nos enganar a nós próprios a pensar que devemos ficar mais tempo quando temos uma vantagem. Essa sessão pode ter acabado há seis horas atrás quando o jogo estava bom e nós estávamos no nosso melhor. Agora, ainda que o jogo esteja bom, já não é bom para nós porque não estamos no nosso melhor.

E podes também adicionar à lista outros factores que podem diminuir as nossas habilidades no jogo. Podemos ter sofrido algumas perdas que mudaram o nosso estilo de jogo. Podemos estar em tilt por ter perdido alguns pots grandes. Podemos estar ansiosos por ganhar ou ansiosos por ter perdido e a jogar pior por causa dessa ansiedade.

No fundo o que quero dizer é que na prática é duro ficar até ao jogo piorar. Por isso jogadores sem uma introspecção perfeita e auto-controlo são capazes de se dar melhor com outros métodos de decidir quando desistir de um jogo.

Método #2: Ficar por um período de tempo predeterminado.

Este método apoia a ideia de que deves determinar um determinado período de tempo para ficar na mesa e quando esse tempo acabar, sais. Não existem variáveis para te preocupares. O tempo é constante e não se pode mudar. Oito horas são sempre oito horas. Se olhares para o poker como um trabalho porque não jogar por um determinado período de tempo e depois parar?

Esta abordagem tem muito para se recomendar. É previsível. Não interfere com o horário para dormir porque já sabes quando vais trabalhar e quando vais acabar. Para além disso, também podes ficar num regime de exercício físico e um dieta, porque podes planear o teu tempo numa mesa de poker como alguém que planeia o seu trabalho. Chegar refrescado, ficar por um tempo predeterminado, que penses ser o tempo que consegues estar ao teu melhor nível, e depois ir para casa e seguir a tua vida fora das mesas.

Jogadores que gostam de regularidade usam este método. Eles sabem exactamente quando vêm e quando vão. Eles podem marcar compromissos. Eles não precisam de se preocupar que as suas habilidades vão diminuir depois de um tempo. E também é mais fácil para o membro da família que não joga. Podem esperar por ti a horas normais. O poker não vai interferir com a família mais do que um trabalho normal.

Mas também existem problemas com este método. O jogador de poker que queira ter sucesso tem sempre de procurar os melhores jogos. Os jogos não são sempre lucrativos para a maioria de nós. Parece ser um desperdício deixar a meio um jogo que está a ser bom só porque definimos um horário.

Muitos jogadores gostam da liberdade de fazer o seu próprio horário. Se um tratar as horas de uma sessão de poker como um trabalho, então que diferença tem jogar poker de picar o bilhete à entrada? Noutras palavras, se não consegues ficar a noite toda acordado num bom jogo, porquê jogar este jogo?

O outro problema de jogar num horário predefinido é que o teu jogo pode não estar estável. Se és bom a avaliar o teu próprio jogo então mais vale decidir que não estás totalmente concentrado ou a jogar o teu melhor. Talvez seja melhor cortar horas nessas circunstâncias, em vez de ficar na mesa quando não estás no teu melhor.

Método#3: Colocar limites de Vencimentos e Perdas.

Um limite para perder e um limite para ganhar são guias artificiais que alguns jogadores usam para os tirar da mesa. Eles decidem antes, que se tiverem a ganhar um determinado valor saem do jogo para que não o percam de volta. Igualmente, o limite de perda, marca um limite onde o jogador chega a um ponto onde decide que não está disposto a ganhar mais. Uma vez atingido esse limite acaba a sessão.

Existem algumas vantagens nesse método. Ao marcar um valor evitas que percas mais do que podes. Evitas ir buscar dinheiro ao dinheiro para pagar a renda, por exemplo, ou a ficar com dívidas com o cartão de crédito. E por outro lado é psicologicamente positivo sair com uma sessão a vencer. Ao atingir o teu limite de vencimento é uma boa maneira de te certificares que não vais ficar até ficares liso – e de manter uma atitude positiva com os teus passatempos ou trabalho.

O problema deste método é que, tal como no de limite de tempo, estás a te privar de uma oportunidade de explorar um jogo que está melhor do que o costume. Se já chegaste ao teu nível de vencimento então excelente, então porquê restringir a tua habilidade de ganhar mais dinheiro ao ficar em jogo? Se os teus vencimentos são de facto produto das tuas boas jogadas, então porquê se negar a oportunidade de ficar a ganhar mais dinheiro dos seus adversários impotentes? Da próxima vez que vier jogar pode não ter a sorte de encontrar adversário tão fracos.

Sem Método: Sair quando sentir que deve.

Este é o método que maior parte dos jogadores segue. Apesar de haver algumas guias sobre quanto tempo ficar, e haver uma ideia no geral de quanto podes perder e quanto gostavas de ganhar, a decisão de sair do jogo é tomada em como te sentes conforme a noite vai andando. Conheces jogadores que são assim – talvez até sejas um deles. Vais com um amigo e dizes que planeias em sair de lá à meia-noite… por aí. Meia-noite chega e um de vocês quer ficar… por mais um pouco. E assim o fazes – até às 5 ou 6 da manhã!

Isto é, no fundo um sistema informal do sistema vencimentos/perdas que os jogadores inventam quando estão na mesa. Eles não têm um limite predefinido mas tomam em conta em como está a correr a sessão para tomar a decisão de ficar ou sair. Geralmente, jogadores que saem da mesa conforme o que estão a sentir com o que estão a ganhar ou a perder, costumam sair com vencimentos insignificantes ou perdas enormes.

Maior parte dos jogadores de poker temem a ideia de perder, seja quanto for. Se estiverem a perder o seu primeiro e mais importante objectivo é se certificarem que ficam pelo menos com o mesmo com que se sentaram. Por isso prometem ficar, independentemente que o seu jogo esteja mau ou não, ou que estejam cansados ou distraídos, o que importa é recuperar. E normalmente pioram a sua situação ao fazer más decisões, baseadas no seu baixo estado de espírito. Por isso ficam ainda mais ansiosos até estarem completamente lisos, sentindo-se assim derrotados.

Mas se ganharem cedo, em vez de usar a sua imagem na mesa para tirar vantagem do jogo e pressionar os adversários, eles ficam preocupados que podem perder de volta o que ganharam. Eles concentram-se em como querem sair com uma vitória. E por isso ficam mais tight, e normalmente jogam uma sessão mais pequena – assegurando que ganham – por pouco que seja.

Próxima Coluna: O Melhor Método

Mais notícias

O que pensas?