Estratégia de Stud Poker: Altura de Desistir, Parte 2

Estratégia de Stud Poker: Altura de Desistir, Parte 2 0001

No meu último artigo expliquei 3 razões geralmente usadas pelos jogadores para tomar a decisão de quando sair de uma mesa. Elas eram: Sair quando o jogo já não está bom; sair depois de um determinado período de tempo; e sair depois de ganhar ou perder uma quantia predeterminada. Eu expliquei as vantagens e desvantagens desses métodos e prometi dar-vos a minha opinião e o melhor método para tu usares.

Cá está esse método.

Em primeiro lugar, o método vai depender, do quão experiente és. Deixa-me que fale primeiro com os inexperientes.

Não deves depender da tua leitura de jogo para decidir quando sair da mesa. Não tens perícia suficiente para saberes quando o jogo está bom ou mau; e não és suficientemente disciplinado para teres a certeza que sairás baseado na medida subjectiva.

Para ti, recomendo que ponhas um limite de tempo fixo. Inicialmente um curto período – talvez uma ou duas horas. Quando acabar esse tempo, sai do jogo. Literalmente, pega nas tuas fichas e vai destrocar pelo dinheiro. Sei que parece exagerado mas faz isso.

Depois gasta pelo menos 20 minutos a pensar em como correu aquela sessão curta. Houve decisões importantes que tiveste de tomar? O que pensas que os outros jogadores acharam do teu jogo? Jogaste tight, agressivo, passivo, loose, louco, ou imprevisível?

Faz isto das primeiras vezes que vais a uma sala de poker pública. Se tiveres a ganhar, ainda bem. Orgulha-te disso. Se tiveres a perder, que pena. Mas reconhece-o. Sem desculpas. E nada de ficar mais tempo só para recuperar o perdido. Aceita as coisas como correram aconteça o que acontecer. Olha para isso como uma experiência, nada mais. Haverá uma próxima vez.

Uma vez que tenhas já alguma experiência, podes relaxar um pouco destas linhas de guia. Continua a colocar um limite de tempo. Mas em vez de arrumar as coisas e sair, vai dar uma volta e beber um café afastado da mesa. Faz o mesmo exercício que fazias antes. Mas desta vez, dá-te a ti mesmo permissão para regressar à mesa se achares que as condições são favoráveis. E por favorável quero dizer que se achares que ainda estás atento e alerta e que tens uma vantagem sobre a mesa. Pergunta-te a ti mesmo como está a correr. E com isto não quero dizer quanto é que estás a ganhar ou a perder, mas sim como estás a jogar. Estás alerta? Estás concentrado? Tens um bom read nalguns jogadores? Tens uma vantagem contra eles?

Olha para os outros jogos na sala. Deves mudar de mesa onde os adversários são mais fracos? Deves sempre te colocar na lista de mudança de mesa para que tenhas uma opção quando um lugar fica vago noutra mesa. Aproveita este intervalo para ver a acção nas outras mesas. Se calhar há mesas mais fáceis. Ao mesmo tempo olha para os jogadores na tua mesa. Se calhar devias de mudar de lugar para ficares com uma vantagem posicional. Pensa um pouco sobre isto antes de regressar a uma nova batalha.

O tamanho da tua stack vem a propósito – pelo menos até seres um jogador confiante e experiente. Deves considerar como a tua stack está a afectar a tua maneira de jogar. Se estás a ganhar, estás com medo de perder de volta? Se estás, se calhar é melhor acabar com a sessão. Se estás a perder, estás nervoso com a possibilidade de perderes mais? Aí também deves considerar acabar a sessão e ir para casa. Mas se não, e estás concentrado, alerta e ainda consegues estar a jogar o teu melhor, então regressa à mesa depois do teu intervalo e continua para mais um período de tempo predeterminado. Depois dito, levanta-te e vai embora.

Conforme ganhas experiência e jeito, conseguirás julgar melhor se estás em condições para jogar mais ou não. Quando chegares a este nível, então podes ser mais liberal com os teus parâmetros para deixar a mesa e avaliar o jogo. Mas não os abandones por completo. Mesmo que decidas ficar por mais uma ou duas horas porque o jogo está particularmente bom, ajuda ter aqueles intervalos onde abandonas a mesa e reflectes sobre a tua prestação. Irão te dar a perspectiva de que precisas, mesmo sendo um jogador experiente, para avaliar as condições do jogo e a tua própria condição.

Quanto a estabelecer limites de vencimento ou de perda, a minha opinião é esta. Usa-os no contexto de o quão bem estás a jogar ou como te sentes. Por exemplo, se eu sei que quando estou a perder mais de $1,000 num jogo de $20/40 fica desencorajado – por mais experiência que tenha. Sinto-me assim quando perco essas quantias de dinheiro – e preciso de sair da mesa. Fico mais distraído por uma perda maior do que essa – e por isso saio do jogo – pelo menos por um pouco – enquanto penso em como isso me afectará. Ao mesmo tempo, descobri que quando estou a ganhar mais do que algumas centenas perto do fim, que a minha atenção vai para tentar manter o lucro. Quando isso acontece eu paro de jogar – e não continuo até ao fim da sessão que tinha planeado. Prefiro sair quando noto que o meu jogo ficou afectado pelos meus vencimentos ou perdas do que continuar até ao fim do tempo.

O importante é isto. Recomendo vivamente em colocar limites de tempo. Ou desistes por completo quando acabar o tempo – especialmente se fores inexperiente – ou usa-os como intervalos para avaliar o teu desempenho.

Nota Ed: Aplica estes conhecimentos quando jogares na GNUF POKER.

Mais notícias

O que pensas?