Agora ao vivo Unibet Open Bucharest

"Ace" fala ao vivo (2): Fazer All-in em Torneios

rolf slotboom

No primeiro artigo de "Ace fala ao vivo", eu discuti os prós e contras de fazer all-in num jogo de dinheiro. Discuti a jogada do all-in em alguns dos meus jogos preferidos de dinheiro (principalmente pot-limit Omaha). Porque sou um exemplo daquele tipo de pessoa que já usou o facto de ter poucas fichas e fazer um all-in de uma maneira muito lucrativa, e pareceu-me justo mostrar o porquê desta estratégia, por ser de sucesso. Apesar de tudo, esta estratégia contrasta com "os melhores jogadores deverão ter sempre mais fichas para poder eliminar os seus oponentes numa única mão"

"Ace" fala ao vivo (2): Fazer All-in em Torneios 101

Em torneios, esta mania de fazer all-in cedo, é ainda mais evidente do que em jogos de dinheiro. Em torneios existem muitos jogadores jovens que não jogam como os mais velhos (estes preferem apostas normais e raises em vez de all-ins, e gostam de poder tomar as decisões em todas as cartas em vez de ser só antes do flop e no flop). Esta nova geração de jogadores têm uma filosofia completamente diferente. Eles apostarão todas as fichas quando acharem que a situação pode ser vantajosa. Desta maneira, não terão que se questionar de novo, não têm mais dores de cabeça, e põem a pressão nos seus adversários, forçando-os a tomar uma decisão naquele momento. E é preciso ser dito que este tipo de estratégia pode causar muitos problemas aos bons jogadores da "velha guarda". Hoje vou discutir alguns dos prós e contras deste famoso movimento de all-in no jogo mais popular de torneios: No Limit Hold´em.

Fazer all-in: Os contras

• Por vezes os jogadores que fazem all-in no início dos torneios estão a ser parvos. Em torneios de freeze-out, quando as cegas ainda são pequenas em relação à média das fichas, apostar todo o seu dinheiro é absolutamente ridículo. A não ser que os seus adversários sejam completamente idiotas, vão saber que mesmo que roube as cegas três ou quatro vezes seguidas, não vai aumentar muito o seu stack. E só farão call com uma mão de qualidade (muito provavelmente ases, porque nesta situação alguns não querem arriscar com mãos tipo KK, AQ, AK – simplesmente porque não querem perder todas as suas fichas num grande pot, ou por azar ir contra ases). Por isso, vão ganhar as cegas muitas vezes, mas quando alguém fizer call, provavelmente vão estar em grande desvantagem e correndo o risco de perder todas as fichas. Deve ficar claro que esta não é a melhor maneira de jogar torneios.

"Ace" fala ao vivo (2): Fazer All-in em Torneios 102

• Se você é alguém que tem por costume fazer all-in, os seus adversários vão se ajustar à forma como jogam consigo. Vão tentar focar-se em ficar numa situação em que eles são favoritos para dobrar as fichas. Bem, mas se você é alguém que consegue reconhecer este padrão quando alguém está a tentar apanhá-lo, então isto não vai ser um grande problema. Mas na maioria das vezes os jogadores que fazem muitos all-ins não conseguem reconhecer isto e mais cedo ou mais tarde, um dos melhores jogadores irá apanhá-lo.

• A melhor estratégia para ganhar torneios é tentar acumular fichas correndo poucos riscos, ao roubar alguns pots pequenos quando é obvio que ninguém tem grande coisa. Aqueles que frequentemente apostam mais que o pot, muitas vezes encontrar-se-ão em situações em que podem sair do torneio, enquanto que se tivesse feito uma aposta pequena podia ter ganho o pot à mesma. Aliás, os melhores jogadores de torneios são conhecidos por atacar pots em que é obvio que ninguém tem muita coisa, e caso encontram resistência, desistem logo. Uma estratégia de apostas grandes é o contrário do que fazem os melhores profissionais.

• Ao fazer all-in cedo no torneio, perdemos a vantagem de poder perceber as tendências dos adversários, por exemplo quando fazem check/bet. Se você é um bom jogador, vai ter que tomar o máximo de decisões – ou melhor, quer que os seus adversários tenham que tomar o máximo de decisões. Ao simplesmente fazer all-in quando acha que a situação o merece, não terá a informação que teria se tivesse esperado ou posto menos fichas em risco.

Fazer all-in: Vantagens

Pelo que acabei de escrever, parece que este modo agressivo de jogar é mau. Mas isso não é necessariamente verdade, porque esta táctica também tem as suas vantagens:

• Não será dominado pelos profissionais. Se você não é assim tão bom em torneios, pode descansar que eles não gostaram deste seu modo de jogar do tudo ou nada. A razão é simples: se fizer all-in cedo, irá pô-los ao teste, e a não ser que eles tenham a melhor mão possível, eles terão algum medo de pôr todas as suas fichas em jogo. Isto pelo facto que os bons jogadores não gostam de ter que fazer call a uma aposta em que coloquem todas as fichas em jogo, porque existe quase sempre o risco de perder. A maioria dos melhores jogadores de torneios preferem jogar pots pequenos, e apesar de às vezes fazerem raise ou bet com todas as fichas, eles não vão querer fazer call a uma aposta dessas. É por este facto que em No Limit não é muito difícil encontrar um mão boa (até AK perde muitas vezes contra uma mão qualquer num all-in pré-flop), por isso esta é uma boa estratégia para usar contra um bom adversário.

• Se tiver sorte num pot ou dois, poderá até ser o chipleader do torneio. E agora se poder continuar a dominar os seus adversários por causa do tamanho da sua stack, eles não irão querer se meter consigo, e se não der de caras com nenhuma mão monstruosa, irá se encontrar em boa posição para ganhar o torneio – apesar do facto de alguns dos outros jogadores serem melhores.

"Ace" fala ao vivo (2): Fazer All-in em Torneios 103

• Irá estar a jogar um estilo de poker sem medo que fará com que ganhe muitos pots sem grande luta. Se estiver constantemente a fazer apostas muito grandes pelo que os profissionais recomendam (por exemplo, raise de três ou quatro vezes a big blind, ou ligeiramente menos que o pot), então mais cedo ou mais tarde algum irá vir com uma aposta superior, e muitas vezes terá que deitar a mão fora porque não estará tão forte quanto representava. Muitas vezes terá até que deitar a melhor mão fora porque alguém irá fazer isto com qualquer mão e você terá de desistir devido à força que o outro jogador está a representar. Caso tivesse posto logo todas as suas fichas, o seu adversário não teria esta oportunidade de tentar "roubar" ou fazer bluff. Teria apenas uma opção: fazer call à sua aposta e esperar que tivesse a melhor mão no river – e poucas mãos são assim tão fortes para fazer call nesta situação.

Algumas palavras finais

Em torneios, geralmente os jogadores mais agressivos ficam nos primeiros três lugares, especialmente em torneios em que seja de uma estrutura rápida, ou que os limites subam rapidamente. O meu palpite é de que as pessoas que jogam este estilo simples de poker, irão ter que ter sorte em uma ou duas ocasiões para ter bons resultados, enquanto que os verdadeiros profissionais terão que ter um pouco menos sorte. Mas isto não quer dizer que esta estratégia seja inferior. No fundo irá muitas vezes fazer com que evite situações de perigo e irá ajudar a evitar os melhores jogadores.

Já nos segue no Twitter? E no Facebook?

Mais notícias

O que pensas?